.

segunda-feira, 28 de março de 2016

PARELHAS: "Confirmado. Vereador Aurélio Buriti assina ficha no PSDB"

Quem entrou em contato agora a pouco com o blog, foi o vereador Aurélio Buriti de Macêdo.
Aurélio anunciou a sua filiação no PSDB, que é presidido em Parelhas pelo ex vereador Eufrásio Medeiros.
Segundo o vereador Aurélio, quem deve desembarcar também no partido, é a advogada Drª Patrícia Gambarra, que rompeu recentemente com o grupo de situação.
Com a filiação de Aurélio Macedo ao PSDB, o partido volta a ter representação no legislativo parelhense.

RN: "Fantasmas poderão ser pegos na boca do caixa"

Comenta-se em grupos do WhatsApp que o Ministério Público do RN vai fazer uma operação caça fantasmas na Assembleia Legislativa.
O objetivo da operação poderá ser para pegar os ‘fantasmas’ na boca dos caixas quando forem receber seus vencimentos.
Pelo que sei, fantasma não saca dinheiro em caixas eletrônicos..
Vamos aguardar..
Pessoalmente não acredito, mas tem gente garantindo que um juiz de plantão atendeu o pedido do MP.

ATÉ QUE PONTO CHEGA O ÓDIO: "Vereador do PMDB sugere matar Lula jogando ele de um avião na floresta amazônica"

O líder do PMDB na Câmara de Araraquara (SP), Roberval Fraiz, fez um discurso pesado contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), recentemente chamado para o Governo Federal pela presidente Dilma Rousseff (PT) e investigado pela Operação Lava Jato. O parlamentar insinuou que Lula deveria morrer.
Fraiz levou à tribuna da Câmara uma cobra de madeira, bateu o objeto no púlpito e o quebrou em diversos pedaços. Foi uma alusão a uma declaração recente do petista (“Se quiseram matar a jararaca, não fizeram direito, pois não bateram na cabeça, bateram no rabo”).
O vereador afirma, na sessão dessa terça-feira (22),  que ficou revoltado com a afirmação de Lula em uma das gravações telefônicas divulgadas pela Justiça, de que o Brasil tem um parlamento “acovardado”.
“Com relação ao ‘jararaca’, gostaria de dizer o seguinte: não tem que pegar no rabo dele, tem que matar ele até dizer ‘chega’. Pisar na cabeça dele”, afirmou Fraiz. “Um homem que, diz ele mesmo, não é letrado. Não é mesmo. Para roubar, basta ser analfabeto igual a ele. Um hipócrita, covarde. Deveria ter morrido. Em vez de o torno [mecânico] cortar o dedo, deveria ter cortado a cabeça dele”, esbravejou.
O peemedebista também disse que Lula deveria ser colocado em um lençol e jogado de um avião no meio da Amazônia, “para ver se ele sobrevive”, além de chamá-lo de “canalha”.

COSTUME ANTIGO: "Ex-funcionária afirma que pagamento de propina era prática na Odebrecht"

Esta semana, a Operação Lava Jato apertou o cerco à maior empreiteira do país, a Odebrecht. Veio a público uma lista apreendida em fevereiro, com os nomes de mais de 200 políticos, de partidos da base do governo e da oposição, ligados a anotações com valores em dinheiro. A Polícia Federal ainda investiga se os documentos comprovam ou não algum ato ilícito.
Na sexta-feira (25), a repórter Sônia Bridi entrevistou uma ex-funcionária da15 Odebrecht que afirma: o pagamento de propinas seria uma prática antiga na empresa. Conceição Andrade trabalhou como secretária do departamento financeiro por 11 anos. Quando saiu da Odebrecht, levou com ela uma outra lista, dos anos 80, com mais de 500 nomes.
Em 1988, o presidente era José Sarney; a moeda, o cruzado, que teria vida curta. Naquele ano, a inflação passaria dos 1000% e a Constituição do Brasil Democrático seria promulgada. Era um brasil diferente, mas uma prática parecer ter sobrevivido até hoje.
Nesta semana, se tornaram públicos documentos que parecem ser registros de contabilidade apreendidos em endereços do executivo afastado da Odebrecht Benedito Barbosa Júnior. É uma lista de nomes de mais de 200 políticos de partidos da base do governo e da oposição, associados a valores monetários.

LAVA-JATO: "Sérgio Moro deve enviar a lista da Odebrecht ao Supremo nesta segunda"

O juiz federal Sérgio Moro deve enviar nesta segunda-feira (28) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a lista de pagamentos que teriam sido feitos a cerca de 200 políticos, apreendida em uma busca da Polícia Federal na casa de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, um dos executivos da Odebrecht, durante a 23ª fase da Operação Lava Jato, conhecida como Acarajé, deflagrada no mês passado.
De acordo com análise premiliminar feita por Moro, a lista envolve pagamentos a pessoas com foro por prerrogativa de função, como deputados e senadores, e, portanto, deve ser remetida ao Supremo, instância responsável por esses processos.
Em despacho na última sexta-feira (25), no qual libertou nove presos temporários na 26ª fase da Operação Lava Jato, identificada como Operação Xepa, o juiz disse que ainda não é possível avaliar a legalidade dos pagamentos, sendo que a Odebrecht é uma das maiores doadoras para campanhas políticas.