.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

PARELHAS: "Câmara Municipal realizará cursos profissionalizantes"

A Câmara de Parelhas abre vagas para a população de cursos de qualificação e aperfeiçoamento. 
Inicialmente seriam ofertadas 40 vagas, mas o presidente da Casa Humberto Gondin, conseguiu com muito esforço mais 10 vagas, uma vez que Caicó que é bem maior, vai oferecer 70 a Câmara Municipal está oferecendo 50 vagas de cursos que abrangem áreas ligadas ao comércio, serviço público, marketing dentre outros cursos que estão disponíveis na relação no anexo do Legislativo.
Para o presidente Humberto Alves Gondin os cursos são de suma importância para a qualificação das pessoas que estarão mais preparadas para serem inseridas no mercado de trabalho.
Os cursos serão viabilizados através de uma parceria da Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte com o Instituto Tecnológico Brasileiro Prospere itb, em Natal. 
Todos os cursos são on-line, tem registro e certificados com validade no território nacional.

ELEIÇÕES 2018: "Mudar não é trocar alhos por bugalhos"

As eleições se aproximam, e candidatos, aos milhares de cargos, estarão à disposição do eleitor para escolher os que melhor possam representá-lo na direção do país.
Além do presidente, entregaremos nosso futuro a governadores e seus vices, senadores e seus suplentes (ainda não foi possível acabar com esta excrescência da legislação), deputados federais, estaduais e distritais. Alguns desses personagens há anos dominam o poder executivo e o poder legislativo. Na esteira da dominação ainda indicam ministros, embaixadores e uma enorme gama de protegidos que, por sua vez, se prestam a controlar seus subordinados,aparelhando empresas públicas e enchendo de funcionários seus gabinetes em funções ditas de confiança.
Com a nova legislação exigida nas ruas pela população, o quadro mudou fazendo com que marginais travestidos de políticos tivessem seus crimes descobertos e expostos nas redes sociais e na mídia, encostando essa gente no paredão da moralidade e da ética. São fuzilados simbolicamente, mas, misteriosamente, renascem nas campanhas eleitorais apresentando aos seus descrentes eleitores suas novas caras como se fossem máscaras sobre a verdadeira face.
Cínicos, continuam acreditando que mantêm o controle sobre seus comandados, comparecem a batizados, missas, reuniões familiares e tudo mais do que necessitam para iludir os mesmos eleitores que bateram panelas para retirá-los do poder. Os fantoches, manipulados pelos cordões do pilantra, se sujeitam a soletrar as mesmas promessas de não roubar, não deixar roubar, respeitar o cidadão, expor as contas dos gastos e mentir, mentir, mentir no lugar do seu senhor.
Ao eleitor caberá não votar na esposa preparadíssima para o cargo, pois treinada por seu marido excluído da política por atos ilícitos. Caberá também tirar do seu pensamento a possibilidade de votar no filho daquele que escondeu dinheiro sob as vestes, ou no pai idoso que terá como suplente um malandro com expectativa de assumir o mandato brevemente e, ainda, em descendentes daqueles que enriqueceram no exercício da função pública, os quais morreram, adoeceram ou cansaram de receber eleitores em suas residências.
É bom examinar com cuidado o financiamento com recursos próprios, afinal, será muito desprendimento para colocar 70 milhões de reais na disputa presidencial e outros tantos milhões nas demais campanhas.
Será melhor escolher um candidato de ficha limpa que se disponha a apresentar propostas factíveis de serem realizadas, além de se comprometer a não usar os mesmos métodos que nos levaram ao caos e sermos motivo de piadas mundo afora.
Olhos bem abertos para enxergar o que há por baixo das máscaras. Mudar não é trocar alhos por bugalhos.
Paulo Castelo Branco

OPINIÃO: "“Traição ao eleitorado”, diz sindicalista sobre possível renúncia de Carlos Eduardo"

A probabilidade cada vez mais alta do prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) oficializar uma candidatura ao Governo do Estado não está sendo muito bem digerida por algumas lideranças sindicais do Rio Grande do Norte, sobretudo pelo fato do chefe do Executivo municipal ter prometido, ao longo de sua campanha eleitoral em 2016, que não iria deixar o cargo – caso reeleito, como foi – para angariar o lugar máximo da política norte-rio-grandense.
Para José Teixeira, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sinte-RN), por mais que a legislação não impeça o atual prefeito de se candidatar ao cargo máximo potiguar, o eleitorado de Natal pode considerar uma traição caso ele abra mão da Prefeitura para tentar o lugar atualmente ocupado por Robinson Faria (PSD). “O prefeito se elegeu para 4 anos de mandato, prometeu que iria cumprir e agora se utiliza de oportunismo almejando algo melhor. Pode se considerar traição, sim, sobretudo para quem votou nele”, analisou.
Na última quinta-feira, 15, antes de fazer a tradicional leitura da mensagem anual na Câmara, Carlos Eduardo disse à imprensa que tem recebido muitos incentivos para tentar o Governo, mas admitiu que, neste momento, ainda não pode se considerar pré-candidato. Na visão de Simone Dutra, vice-coordenadora do Sindicato dos Servidores em Saúde do RN (Sindsaúde), o fato do prefeito fazer parte de uma “oligarquia” no estado o credencia ao posto, sobretudo por quê está, corriqueiramente, almejando novos patamares no mundo político.
“Ele é Alves, família que manda no estado há anos. Todo mundo sabe que ele segue política como profissão. É natural, do ponto de vista dele, angariar sempre um nível mais alto na vida pública, por isso que já tem sinalizado com a chance de se tornar governador. Quando ele falou na campanha que iria cumprir o novo mandato, sabíamos que era jogo de cena. Já desconfiávamos do que poderia acontecer. Trata-se de uma pessoa que nunca deixou de ocupar cargos públicos e essa candidatura não surge como novidade pra gente”, explicou.
O Natalense

HAJA PACIÊNCIA: "Governo do RN não sabe ainda quando vai pagar o décimo de 2017"

O jornal Tribuna do Norte destaca em sua edição impressa deste sábado (17) que a abertura de uma linha de crédito especial para viabilizar o “pagamento” do décimo terceiro salário de 2017 não tem data definida para acontecer. A incerteza se deve ao fato das negativas dos bancos em relação à proposta do Estado.
O secretário de Administração e dos Recursos Humanos, Cristiano Feitosa explicou, nesta sexta-feira (16), que aguarda uma resposta do Banco do Brasil, que está estudando o caso. Procurado pelo governo, o banco Bradesco rejeitou a proposta. Segundo Cristiano Feitosa, eles alegaram que os servidores poderiam aderir a uma linha de crédito normal já existente no banco. No entanto, a administração estadual já constatou que a maioria dos servidores não tem margem financeira para novos endividamentos.

POLÍTICA: "Na tentativa de evitar rompimento Robinson anuncia construção de UTI no colégio eleitoral de Fábio Dantas"

São cada vez maiores os rumores nos bastidores da cena política estadual, dando conta de um possível rompimento do vice-governador Fábio Dantas (PCdoB) com o governador Robinson Faria (PSD).
E nesta sexta-feira (16), na tentativa de evitar o rompimento, o governador foi ao município de São José de Mipibú, administrado por Arlindo Dantas, pai do vice-governador, para visitar às obras de reforma e ampliação do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros e anunciar que vai construir dez leitos de UTI na unidade hospitalar.
A reforma e ampliação do hospital teve início em abril do ano passado. O total de investimento do governo, com recursos do Governo Cidadão, antigo RN Sustentável do Governo Rosalba, é de R$ 1.539.722,50. A obra já atingiu o percentual de 60% com previsão de entrega para maio deste ano.
Heitor Gregório