.

sábado, 28 de outubro de 2017

CIDADANIA: "Instituto Mais Saúde realiza grande ação beneficente neste domingo (29) em Caraúbas/RN"

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Caraúbas, o Instituto Mais Saúde realizará neste domingo, dia 29 de outubro, mais uma grande ação beneficente.

Serão disponibilizados atendimentos médicos de forma voluntária nas especialidades de ortopedia e pediatria, além de cabeleireiros, psicólogos, odontólogos, nutricionistas, clínica médica, advogados, minicursos, farmácia básica, torneio de mini-campo, exames laboratoriais, entre outros de forma gratuita.

O Instituto Mais Saúde conta com a colaboração de voluntários e não recebe nenhuma contrapartida financeira na realização de suas atividades.

O atendimento acontecerá a partir das 08 horas na Escola Francisco de Acací Viana, na Comunidade Mariana em Caraúbas/RN. O mesmo acontecerá por ordem de chegada com limite de vagas e respeitando a Lei de Prioridade.

BLOG INFORMA: "Domingo tem música ao vivo no Recanto Verde"



POLÍTICA: "Por "trair" aliados de primeira hora Robinson segue para o isolamento político"

Eleito com uma aliança política tímida em 2014, o governador Robinson Faria (PSD) começa a sofrer o isolamento político de quem tem quase 80% de desaprovação popular.
O PT foi o primeiro a abandonar o barco e tem a pré-candidatura da senadora Fátima Bezerra à sucessão estadual. O PCdoB, do vice-governador Fábio Dantas, já não se entende com o gestor. O PP, do deputado federal Beto Rosado, não tem uma relação próxima com o governo. Os aliados estão cada vez mais distantes.
A expectativa do governador, de atrair o PSDB, parece frustrada, com o discurso oposicionista entoado pelo partido nos programas de TV que foram ao ar recentemente.
Robinson chegará em 2018 com “poucos amigos” ou “quase nenhum”. É difícil achar quem defenda o projeto de reeleição do atual governante.
Texto:Robson Pires
Título Nosso

SERÁ?: "Com nome citado por delator Carlos Eduardo poderá fazer companhia a Henrique"

Com seu nome citado na delação do empresário Fred Queiroz que está na mesa do desembargador Dilermando Mora e supostamente encalacrado  denunciada  Operação Cidade Luz, o prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves enfrentam um processo de putrefação administrativa. Secretários não respeitam ou obedecem suas ordens, auxiliares sequer atendem suas chamadas em celulares.
Pessoas ligadas ao vereador e presidente da Câmara, Raniere Barbosa alertam para abertura do bocão do presidente afastado da presidência da Câmara.
Seguras fontes do Blog do Primo asseguram que Carlos Eduardo Alves está mais próximo a dividir à cadeia com Henrique Alves que chegar a ser governador..

ROGÉRIO MARINHO: "O queridinho dos patrões"

Menos amado pela classe trabalhadora, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), é o mais querido da classe empresarial, principalmente, depois da sua atuação como relator da reforma trabalhista.
Ele foi homenageado nesta sexta-feira (27) durante o Fórum Norte Nordeste da Construção, realizado no luxuoso Hotel Ocean Palace pelo Sindicato da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon) e pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).
O anfitrião do Fórum, presidente do SINDUSCON-RN, Arnaldo Gaspar Júnior, fez uma saudação a Rogério Marinho, enfatizando a importância do seu trabalho como relator da reforma. No entanto, o tucano potiguar não tem recebido elogios e homenagens de sindicatos de empregados, mas sim dos patrões.

DELAÇÃO: "Funaro diz que entregava dinheiro vivo nas mãos de Cunha e Henrique Alves"

Em depoimento à Justiça Federal nesta sexta (27), o corretor de valores Lúcio Funaro afirmou que, em quase 15 anos de relação com Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de 2002 a 2016, manteve encontros semanais com o ex-deputado, em um total de mais de 700, conforme seu cálculo.
Funaro disse que entregava dinheiro vivo nas mãos de Cunha e Henrique Alves (PMDB-RN) e que o presidente Michel Temer sabia do esquema de corrupção que vigorou na Caixa Econômica Federal.
O depoimento foi concedido ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, onde Funaro, Cunha e Alves são réus em uma ação penal sobre um esquema de desvios do fundo de investimentos do FGTS (FI-FGTS), administrado pela Caixa.
O processo derivou da Operação Sépsis. Segundo a denúncia, empresas pagavam propina em troca de liberação de recursos do FI-FGTS.
“Entreguei [dinheiro] nas mãos dele [Henrique Alves] em um hotel em São Paulo, emprestei avião meu para funcionário dele levar dinheiro”, disse Funaro, que assinou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República. As informações são da Folha de São Paulo.