.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

AO VIVO: "11ª Sessão ordinária da Câmara Municipal de Santana do Seridó"

SANTANA DO SERIDÓ: "Audiência Pública sobre o projeto SIM (Serviço de Insperção Municipal)"

SANTANA DO SERIDÓ: "Hudson Brito viabiliza apoios para o seu projeito de eleição"

Durante entrevista nesse final de semana na Rádio Rural de Parelhas, o secretário de Articulação com os Municípios, Hudson Brito (PSD), confirmou que irá buscar viabilizar sua candidatura para prefeito.
Inclusive, ele poderá ter o apoio de Ivanildo Pereira, do PR. Hudson Brito também contará com o apoio do presidente da Câmara Municipal, Ivan Dantas, vereador pelo PSD.

PERGUNTAR NÃO OFENDE: "O que será da Lava Jato com o PMDB comandando tudo?"

A Lava Jato enfrentará em breve um de seus mais difíceis desafios. Na medida em que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff avança e o vice Michel Temer fica mais próximo de ocupar o Palácio do Planalto, surge a pergunta: o que será da operação com o PMDB no poder? Caso se confirme o afastamento da petista em votação no Senado, o Executivo e as duas casas do Legislativo estarão sob o comando de peemedebistas. Os três chefes do Executivo e do Legislativo – Temer, Renan Calheiros e Eduardo Cunha – foram citados por delatores do esquema de corrupção da Petrobras. Os dois últimos são alvos de investigação formal pelo suposto envolvimento na Lava Jato. Cunha, inclusive, deve ser alvo de duas novas denúncias, segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, responsável pelos pedidos de investigação de políticos com foro privilegiado ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Se a situação de Cunha é mais complicada – ele já é réu no STF –, a de Renan e Temer tende a se agravar conforme novos acordos de delação premiada são firmados com a Justiça. Segundo a revista Época deste final de semana, o engenheiro José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix preso desde setembro, disse aos procuradores ter pago propina a operadores que falavam em nome dos dois peemedebistas. Ele disse também que, durante os governos petistas, ambos foram responsáveis pela nomeação de afilhados políticos em estatais como a Petrobras e a Eletronuclear.
Além disso, em depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da operação na primeira instância, o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró afirmou na segunda-feira que Renan recebeu propina de 6 milhões de dólares (cerca de 24 milhões de reais) em 2006. O pagamento seria referente a um contrato de fretamento do navio-sonda Petrobras 10.000. O delator está preso desde janeiro de 2015.

DO BLOG: "Não tenho nenhuma dúvida que a operação Lava-Jato será sepultada. Mais um ano e a lava-jato será lembrada apenas como um espaço de lavar carros".




Jean Wyllys é eleito melhor deputado de 2015

Com 19.809 votos, o deputado pelo Rio de Janeiro Jean Wyllys (Psol) foi eleito o melhor deputado de 2015 pelo público pela internet no Prêmio Congresso em Foco. O parlamentar também foi o mais bem avaliado em 2012 e 2013. Jean Wyllys também ganhou na categoria Parlamentares de Futuro e na Defesa da Cidadania e da Justiça Social. Além disso, foi o segundo deputado mais bem avaliado pelos jornalistas que fazem cobertura do Congresso Nacional.
O deputado do Psol é conhecido por defender os direitos dos movimentos LGBT, dos negros e das mulheres. Jean Wyllys foi um dos 167 deputados que votou contra a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Entre os deputados que ficaram entre os 20 mais bem avaliados, estão os parlamentares paulistas Eduardo Bolsonaro (PSC), filho do também deputado Jair Bolsonaro, Celso Russomano (PRB), Tiririca (PR) e Luiza Erundina (PSOL).

CORRUPÇÃO DE PAI PRA FILHO: "Janot atribui a Agripino (DEM) ‘estratégias de lavagem de dinheiro"

Ao requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo bancário e fiscal de José Agripino Maia (DEM/RN), presidente nacional do Democratas, o procurador-geral da República Rodrigo Janot atribuiu ao senador ‘estratégias de lavagem de dinheiro’.
Em manifestação de dezoito páginas entregue ao ministro Luís Roberto Barroso, o procurador assinalou que ‘no curso do complexo investigatório denominado Operação Lava Jato, colheram-se elementos que apontam no sentido da solicitação e do recebimento, de forma oculta e disfarçada, de vantagens pecuniárias indevidas por parte do senador’.
O afastamento do sigilo de Agripino, um dos principais e mais ferrenhos opositores do governo Dilma no Senado, foi acolhido pelo ministro Barroso. O ministro autorizou, ainda, o afastamento do sigilo de dados bancários e tributários de empresas e de familiares de Agripino, inclusive um filho dele, o deputado Felipe Maia (DEM/RN).