.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

CLASSIFICADOS: "Vende-se Fiat Siena tetrafuel 1.4 2007 completo de tudo"


VENDE-SE SIENA TETRAFUEL 1.4 2007

Vendo Siena 2007 1.4 tetrafuel (gasolina, álcool e gás natural de fábrica). Completo de tudo, ar, trava, alarme, vidro, direção hidráulica, computador de bordo e faróis de neblina. Valor R$ 17.000. 
Interessados entrar em contato: 84 9 9644-2217(ZAP)
Falar com Ivanildo Souza.

PARELHAS: "Posse da direção do PT acontece hoje no Recanto Verde"

Está marcado para logo mais ás 18h, a posse da nova direção do Partido dos Trabalhadores de Parelhas.
A eleição que aconteceu no último PED(Processo de Eleições Diretas), elegeu a professora Gildete Maria e o professor e advogado Ailton José, como presidente e vice respectivamente.
A posse contará com a presença do ex-prefeito Francisco e da Senadora Fátima Bezerra.

FOCO: "Hudson Pereira faz reunião avaliativa com Secretários e assessores"

Mostrando organização, ação e principalmente determinação, o prefeito Hudson Pereira de Brito reuniu esta semana sua equipe, onde fizeram uma avaliação do 21º  Santo Antônio do Povo.
Segundo Hudson o evento foi positivo, uma vez que o tempo, foi pouco para organizar o  Santo Antônio.
"Nós assumimos a prefeitura no início do ano e encontramos tudo muito deteriorado, os balões, as placas, os arranjos, enfim a estrutura do Santo Antônio do Povo estava praticamente abandonada e tivemos muito trabalho para estrutura-la novamente. Por isso nossa equipe avaliou como positiva a realização do 21º Santo Antônio do Povo. Foi um evento onde todos estão elogiando a segurança e a tranquilidade, elogiada inclusive pelos meus adversários políticos." Avaliou o prefeito Hudson


NOTA: "Velório de Wilma será no Palácio do Governo"

O velório da ex-governadora Wilma de Faria, terá início às 08h, no Palácio do Governo, na Cidade Alta, em Natal, hoje denominado de Palácio da Cultura. Às 17h30 será celebrada uma Missa. 
O sepultamento está marcado para às 19h no Cemitério Morada da Paz, em Emaús. 
Dona Wilma faleceu às 23h40 da quinta-feira (15), no Hospital São Lucas, onde estava internada há dias em tratamento contra o câncer que enfrentava há quase dois anos. 

REDE SOCIAL: "Filho de Wilma de Faria publica depoimento sobre a morte de sua mãe"


POLÍTICA: "Henrique Alves está com regalias na Academia de Polícia, diz MPF"

Apesar de ter sido escoltado pela Polícia Federal e preso durante cumprimento da Operação Manus – desdobramento da Operação Lava Jato –, o ex-ministro do Turismo, Henrique Alves (PMDB) não está tendo uma detenção que se enquadra nos rigores entendidos como satisfatórios pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte. Ao contrário do esperado pelo órgão investigador, o também ex-presidente da Câmara dos Deputados vem sendo favorecido com várias regalias, que estão garantindo – acidentalmente, ou não – que sua estada na Academia de Polícia Militar (onde está sendo detido em cumprimento de mandado de prisão preventiva) seja a mais confortável possível.
As regalias estão sendo concedidas porque, a princípio, a Academia de Polícia Militar não possui condições adequadas de manter civis presos. No local, sequer há fornecimento de alimentação a custodiados, por isso, Henrique tem sido beneficiado com refeições externas. Em parecer divulgado no início desta semana, o Ministério Público Federal no estado potiguar se posicionou contra a manutenção do acusado na Academia de Polícia Militar, alegando que o ex-ministro está “pelo menos pelo que se noticia, solicitando refeições em restaurantes de Natal, o que configura regalia inconcebível para uma pessoa submetida à prisão preventiva”.
Além disso, o entendimento do MPF ainda revela que o ex-ministro descansa em uma sala com ar-condicionado, tendo acesso, inclusive, a mídias proibidas. Outro aspecto criticado pelo órgão é que Henrique vem recebendo visitas constantes e sem controle da polícia, como é no caso de sua esposa, a jornalista Laurita Arruda. “Este fato destoa da própria finalidade da custódia cautelar, que é o de cortar vínculos do preso com o meio político e empresarial criminoso em que vivia”, afirma o parecer.
A alternativa proposta pelo Ministério Público Federal – e que até então era uma possibilidade – seria a transferência de Henrique Alves para Brasília, como pedido pelo juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, em razão dos desdobramentos das operações Cui Bono e Sepsis, mas suspensa por habeas corpus impetrado pelo advogado do réu e acatado em liminar pelo desembargador Ney Belo, do Tribunal Regional da 1ª Região.
No caso de Henrique, o MPF avalia que é “plenamente razoável” a transferência para Brasília, onde haveria um sistema penitenciário melhor preparado para recebê-lo. “A unidade prisional de Brasília é, dentre as duas opções possíveis, a mais indicada a garantir os direitos e deveres do preso”, diz o órgão, que lembra que a custódia de presos em quarteis (Academia de Polícia Militar), só deve ser levada como possibilidade “quando inexistir outra unidade que possa cumprir as exigências legais”. Para a defesa de Henrique, representada pelo advogado Marcelo Leal, a transferência do ex-ministro é “desprovida de fundamento jurídico e razoabilidade” e fere “o direito subjetivo do custodiado de permanecer onde se encontra à disposição do Juízo da Vara Federal de Natal”.
Em resposta às diversas alegações da defesa para manter Henrique em Natal, o Ministério Público Federal afirmou, citando jurisprudências, que o direito do custodiado de permanecer perto da família não se trata de algo absoluto, podendo ser revisto caso haja necessidades da administração penitenciária, como seria o caso de Henrique Alves. “Quanto à alegação de que a transferência traria custos ao Estado, trata-se de argumento curioso, em especial quando parte de quem é investigado – e até mesmo já acusado – exatamente, por desviar recursos e receber milhões de reais em propina”. O parecer vai além e relembra que Henrique, em meados de 2013, “não viu prejuízo algum ao erário na utilização de avião da Força Aérea Brasileira para transportar a ele e à sua família para um jogo da Seleção Brasileira no Rio de Janeiro”, concluindo que a atual situação é “ilustrativa do prejuízo concreto que anos de descaso com o sistema prisional do próprio Estado de origem, por parte de políticos, podem causar em desfavor deles próprios, em algum dia futuro”.


FHC: "Temer deveria antecipar eleições como gesto de grandeza"

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez declarações a respeito da atual situação política do Brasil. Ao globo, o tucano afirmou que Michel Temer deveria ter o ato de grandeza de pedir eleições gerais antes de 2018.
“A ordem vigente é legal e constitucional (daí ter mencionado como ‘golpe’ uma antecipação eleitoral) mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto”, escreveu o tucano na nota.
Até o momento, o pedido de eleições diretas tem partido da oposição. O próprio FHC já havia caracterizado a possibilidade como um golpe.
“A volatilidade da conjuntura política é de tal ordem que qualquer prognóstico se torna precário. Vivemos, como diria o dr. Ulysses (Guimarães), sob os impulsos de sua excelência O Fato”, se defendeu o ex-presidente.

RN DE LUTO: "Morre Wilma de Faria "A Guerreira"

Faleceu às 23h40 desta quinta-feira (15), no Hospital São Lucas, em Natal, a ex-governadora Wilma de Faria. Ela estava internada em tratamento contra o Câncer. 
Nascida em Mossoró em 17 de fevereiro de 1945, Wilma passou sua adolescência em Caicó, estudou no Educandário Santa Teresinha e era devota de Sant’Ana. 
Professora da UFRN, Wilma foi Diretora do MEIOS, Secretária de Ação Social do Estado, Deputada Federal, Prefeita de Natal por três vezes, uma vez vice-prefeita, duas vezes Governadora do Estado e atualmente Vereadora de Natal. 
Era reconhecida como a Guerreira do Povo pela história de pioneirismo na política do RN, onde foi a primeira mulher a assumir a Prefeitura de Natal e o Governo do Estado. 
Fica uma lacuna na política potiguar.