.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

PARELHAS: "O que muda para 2016?"

Depois das eleições de 2014, todos os holofotes se voltam para o pleito de 2016.
Mesmo faltando ainda muito tempo, os politiqueiros de plantão já confabulam como serão as eleições para prefeito em todas as cidades do RN.
Em Parelhas não é diferente, a oposição já mostra claramente qual será a sua preferência em 2016 e por outro lado o PMDB, vem demostrando interesse de voltar a disputa, já que desde 2004  a sigla não tem cabeça de chapa.
Muitas águas ainda rolarão por debaixo dessa ponte, o PT por exemplo, partido do atual prefeito, tem também um candidato,ou embarcará em uma das candidaturas já postas?

EM TEMPO: O PT do RN, saiu muito fortalecido nesse último pleito, haja visto que conseguiu reeleger o Deputado Estadual Fernando Mineiro, a Senadora Fátima Bezerra, a Presidenta Dilma e fez parte da coligação vitoriosa de Robinson Faria que sagrou-se Governador do Estado, contra tudo e todos.
O PT de Parelhas por sua vez tem ao seu lado agora, uma Senadora da República, a Presidenta Dilma e o Governador eleito.
Não se pode substimar o PT parelhense, uma vez que ele  já não cabe mais dentro de um fusca.

GALERIA DOS DERROTADOS

Henrique Alves candidato a Governador do acordão, perdeu a eleição para Robinson Faria, com uma maioria de quase 150 mil votos.

Wilma de Faria, perdeu o Senado para Fátima Bezerra, mesmo contando com quase toda classe política lhe apoiando. Levou uma trauletada de 170 mil votos.

Garibalde Alves, conversou muita besteira na eleição e substimou o candidato Robinson Faria.

José Agrpino Maia, com toda a sua prepotência, perdeu a eleição para o governo e para presidência e ainda de quebra, conseguiu afundar seu partido.

Carlos Eduardo Alves, como um bom Alves, também foi derrotado e não conseguiu eleger seu candidato a deputado federal e seu pai, também um Alves se elegeu na estica e sua Senadora também foi derrotada.

QUEM ELEGE É O POVO...

Mais uma vez fica provado que prefeito e lideranças políticas não elegem ninguém.
Em 2002, Wilma foi eleita governadora com o apoio mínimo de prefeitos e lideranças políticas.
Em 2010, Rosalba foi eleita senadora contando com pouco mais de 20 prefeitos e vencendo o  ex-ministro Fernando Bezerra.
E agora em 2014, Robinson (PSD) venceu Henrique (PMDB) que teve o apoio de mais de 100 prefeitos, do ministro Garibaldi (PMDB), do senador José Agripino Maia (DEM), da ex-governadora Wilma de Faria (PSB), do deputado-vice João Maia (PR), do presidente da Assembleia, Ricardo Motta (PROS)…
Está provado: quem elege é o povo.

ACABOU: "Eleição de Robinson Faria é a vitória da superação mais aguardada no RN"

Chega ao final um dos embates eleitorais mais emocionantes da história recente do Rio Grande do Norte. Com muitas lições absorvidas. A primeira delas é básica e conhecida: Não há governador eleito de véspera.  A segunda é a repetição da tendência do eleitor potiguar de reagir contra grandes estruturas e mostrar-se independente.
Há três grandes vencedores nesta eleição. A senadora eleita Fatima Bezerra (PT), o governador eleito Robinson Faria (PSD) e o seu vice eleito, deputado estadual Fabio Dantas (PCdoB). Visionário na tomada de decisões, jogador de apostas altas, “Fabinho” acreditou em Robinson quando sua eleição era vista como “improvável”.
Numa campanha de superação, Robinson teve a competência de sustentar a luta contra tradicionais forças políticas, a paciência de esperar o seu momento quando viveu a vitória de Fátima Bezerra no 1º turno e a frieza necessária para enfrentar a dureza dos ataques que sofreu combatendo numa trincheira contra velhos generais.
Com 11 mandatos de deputado federal, decano presidente do Congresso Nacional, Henrique Alves (PMDB) reuniria, em tese, uma serie de atributos que lhe renderiam consistência para a corrida eleitoral. Mas ele fez o mais difícil. Cercou-se de gente acomodada e arrogante. Errou na mão do marketing no primeiro e no segundo turno.
O segundo turno foi marcado pela ampliação do distanciamento entre o candidato do PMDB e seus liderados. Faltou atenção e respeito pelos apoiadores. É o que ouvi a campanha inteira. De inúmeras lideranças, entre elas prefeitos respeitados que não fariam o menor esforço porque sequer recebiam um telefonema de Henrique.
Robinson cresceu neste terreno fértil marcado pela insatisfação popular. Arregimentou um exército voluntário, “caiu nas graças do povo”, como diz o jargão. A vitória era questão de tempo. Sem compromissos ou amarras com estruturas tradicionais, Robinson fincou bases valorizando cada apoio, não importando “tamanho” da liderança.
Como uma águia política, nadou de braçadas no vácuo aberto, foi humilde, trabalhou com equipe de gente talentosa. Valorizou pessoas que foram desprezadas por muitos. Essa turma deu sangue. Motivadas a mostrar seu valor, atuaram em diversas funções da campanha. Foi esta a vitória da superação.
A Robinson Faria, por quem tenho admiração pessoal, desejo boa sorte e sucesso. Que Deus lhe dê a serenidade e sabedoria necessárias para enfrentar os desafios que lhe serão impostos para realizar o seu desejo de transformar o RN num Estado mais justo e desenvolvido.


Jean Valério – Jornalista

NOTA DO GOVERNADOR ELEITO ROBINSON FARIA

Aos meus filhos, Fábio, Nathalia, Janine, Maria Fernanda, Maria Luiza e Gabriel, todos, cada um com seu jeito, pelo apoio constante, as palavras e o carinho. Vocês foram fundamentais! Aos partidos de nossa coligação, PT, PC do B, PP, PT do B, PEN, PRTB e PTC, obrigado por acreditarem no nosso sonho.
A meu vice-governador, Fábio Dantas. Você foi um gigante! De forma estratégica, altiva e jovial, você será, sem dúvida, um excepcional companheiro de governo. Parabéns! A minha senadora Fátima, a primeira de origem popular da história do nosso Estado. Fátima, muito obrigado! Você e o PT foram parceiros muito importantes e comprometidos com a nossa eleição!
Aos nossos deputados eleitos, José Dias, Fernando Mineiro, Galeno Torquato, Dison Lisboa, Cristiane Dantas, Carlos Augusto Maia, eleitos na nossa coligação Liderados pelo Povo, o nosso muito obrigado! Aos nossos prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, lideranças que nos apoiaram, motivaram e fizeram a campanha mais bonita do Rio Grande do Norte! Aos militantes de todos os partidos! O entusiasmo que vocês levaram às ruas contagiou o RN. Muito obrigado!
Fui eleito para governar para todos os potiguares e por isso reafirmo o meu compromisso em fazer um governo técnico, focado na eficiência da máquina pública e no desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte. Mais de quatrocentas mil pessoas ainda vivem abaixo da linha da pobreza. Por isso, como disse em toda a campanha, vou trabalhar para os últimos por mais justiça social, por um Estado mais solidário. Não vou governar pensando na próxima eleição; eu vou governar pensando nas próximas gerações. E como disse o Presidente Lula, agora é hora de reconstruir a história política do Rio Grande do Norte. Me alimentei de fé, coragem e resistência! LUTAREI PARA SER O MELHOR GOVERNADOR DA HISTÓRIA DO RIO GRANDE DO NORTE.
Muito obrigado!