.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

CONVITE: "Prefeitura de Santana do Seridó realizará a 11ª conferência de Assistência Social nos 11 e 12 de julho"


A prefeitura municipal de Santana do Seridó, realizará nos dias 11 e 12 de julho, a 11ª Conferência de Assistência Social com o tema: "Garantia de Direitos no Fortalecimento do SUAS".

A abertura da conferência acontecerá no Espaço Cultural Moisés Sátiro da Silva, com início ás 19:00h, desta terça-feira dia 11.


NA CONTRA MÃO: "Jardim do Seridó tem um dos combustível mais caro da região"

Na contra mão do Brasil, a cidade de Jardim do Seridó, comercializa a gasolina mais cara da região do Seridó.
Enquanto outras cidades acompanham os descontos dados em todo Brasil, nossa vizinha parece ser localizada em outro país. Lamentável!

Fotos Marcos Dantas.


CORRUPÇÃO: "Nova fraude em bomba de gasolina é difícil de notar"

Do UOL, em São Paulo
O caso recente de um cliente que foi vítima de fraude é lembrado por dois frentistas que trabalham na marginal Tietê, em São Paulo, como exemplo da facilidade para enganar o consumidor. Wallace Alan e Jefferson Silva são funcionários de um posto atualmente sem bandeira, próximo à ponte da Casa Verde (zona norte da capital), e contam o que viram há cerca de uma semana.
“O motorista chegou aqui e pediu para pôr R$ 50 em etanol. Só que ele tinha acabado de colocar R$ 70 em outro posto, que fica bem pertinho”, diz Alan, 23. “Ele quase encheu o tanque lá, mas desconfiou que abasteceram com menos combustível do que pagou, e aí pediu para eu completar.”
Como o tanque do carro era pequeno, em torno de 45 litros –ou R$ 90– seria o máximo da capacidade.
“Eu disse para ele: não vai caber mais R$ 50, o tanque deve estar quase cheio”, afirma Alan.
Mas o cliente estava certo. O posto anterior havia cobrado por uma quantidade e entregado bem menos.
“Se quiser, o funcionário consegue ser desonesto [sem que percebam]”, diz Silva, 23. “Por isso, a gente sempre pede para o motorista descer do carro e acompanhar o que está acontecendo na bomba, do nosso lado. Assim a gente evita problema também.”
A reportagem do UOL conversou com frentistas em seis postos de combustíveis no centro, na zona norte e na zona oeste de São Paulo sobre um tipo de engodo difícil de perceber e que está cada vez mais comum: a fraude tecnológica.
O golpe funciona assim: com um chip instalado dentro da bomba, é possível interferir no funcionamento da placa eletrônica e alterar a contagem que aparece no visor. O comando é feito à distância, por controle remoto ou aplicativo de celular. Ao comprar 20 litros, por exemplo, o cliente recebe apenas 18 litros, sem notar que foi ludibriado.
Nova fraude em bomba de gasolina é difícil de notar; frentistas dão dicas contra golpes



ELEIÇÕES 2018: "Lula e Bolsonaro são os preferidos, segundo pesquisa"

O levantamento do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados revelou um cenário de incógnitas em relação ao cenário nacional. Na pesquisa espontânea, 79% não responderam em quem votariam para presidente da República se as eleições fossem hoje. Dos 21% que citaram um nome, o político que mais aparece é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: ele teve 9,9% dos votos, quando o entrevistado é instado a apresentar o nome de seu candidato preferido. O petista é seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (5,2%), do PSC, e por Marina Silva (1%), da Rede.
O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que ganhou fama nacional como relator do processo do mensalão, também aparece na pesquisa espontânea, citado por 0,8% dos entrevistados. Ciro Gomes (0,7%), do PDT, o tucano João Doria (0,7%), e a petista Dilma Rousseff (0,6%) completam a lista dos citados no levantamento.
Na pesquisa estimulada, quando são apresentados possíveis candidatos aos entrevistados, o instituto traçou dois cenários e, em ambos, Lula lidera as intenções de voto. O primeiro deles inclui o tucano Geraldo Alckmin (PSDB), atual governador de São Paulo. Nessa perspectiva, Lula tem 16,7% dos votos, seguido de perto por Bolsonaro, com 14,8%. Em terceiro lugar, aparece Joaquim Barbosa, com 8,3% das intenções. O ministro aposentado, entretanto, ainda não escolheu um partido, nem confirmou a intenção de concorrer ao Palácio do Planalto. Ele tem sido bastante assediado por legendas como a Rede e o PSB.
Avaliação
Marina Silva, que sempre foi considerada forte no DF, aparece em quarto lugar, com 6.2% dos votos. O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que não esconde vontade de concorrer novamente ao Palácio do Planalto, tem 3,8%. Em seguida, estão Geraldo Alckmin (3,4%), Ciro Gomes, do PPS, com 2,5% e Luciana Genro, do PSol, com 0,4%. Entre os entrevistados, 24% optaram pelo voto branco ou nulo, 16,1% não souberam responder e 3,8% preferiram não opinar. Somados, os eleitores que não votam em nenhum dos citados chega a 43,9%.
No segundo cenário, em que o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), substitui Geraldo Alckmin, Bolsonaro cai de 14,8% para 10%. Joaquim Barbosa aparece com 9,1% dos votos. Com 4,5% dos votos, Doria está em quinto lugar, atrás de Marina Silva, com 6,2%. Na sequência, aparecem Ciro Gomes (4,00%), Cristovam Buarque (3,9%), Luciana Genro (0,3%) e Eduardo Jorge, do PV, com 0,1%. Os brancos e nulos somam 23,7%. Os que dizem não saber representam 16,8% e 4,1% não quiseram responder. Esses percentuais juntos indicam que 44,6% não escolheram nenhum dos indicados.

 Fonte: Correio Braziliense


REFORMA TRABALHISTA: "Garibalde e Agripino são a favor de Temer e contar o trabalhador"

Com margem apertada, o Senado tem a promessa de votos suficientes para aprovar a reforma trabalhista de Michel Temer, segundo levantamento realizado pela Folha na semana passada.
Dos 81 senadores, 42 declararam apoio ao texto. O governo precisa de ao menos 41 para ganhar a votação, marcada para terça-feira (11).
São contra a proposta pelo menos 23 senadores, de acordo com a enquete.
Blog do Primo
Guardem esses nomes!

LULA: "Estou doido para consertar o Brasil"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse em entrevista ao jornalista Water Santos, da Revista Nordeste, que está “doido para consertar o Brasil” e questionou o preconceito existente com os mais pobres e o Nordeste do país.
Ao iniciar a conversa, Lula lembrou que o atual prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), quando dirigia a Embratur, chegou a propor que a seca do nordeste e a miséria fosse transformada num ponto de atração turística.
O ex-presidente falou sobre a discriminação com os mais pobres. “Eles não aceitam que as pessoas do andar de baixo, subam para o andar de cima”.


PSDB SAI DO GOVERNO DEPOIS QUE VOTAR A FAVOR DAS REFORMAS

Na véspera de uma reunião que deverá reunir as principais lideranças tucanas para discutir o possível desembarque do PSDB da base aliada do governo do presidente Michel Temer (PMDB), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), indicou neste domingo que a decisão de seu partido sobre a permanência ou não na gestão do peemedebista é questão de semanas.
Após assistir ao desfile cívico em homenagem aos combatentes da revolução constitucionalista de 1932 na capital paulista, o governador reiterou o compromisso do partido com as reformas, mas adiantou que não vê motivo para o PSDB participar do governo depois da votação da reforma trabalhista, prevista para terça-feira no Senado, e da reforma da Previdência, que acredita que vá tramitar em pouco tempo. Alckmin citou ainda que o partido deve aguardar a reforma política, que “também tem data”. Na sua avaliação, os tucanos devem ajudar o Brasil, “mas sem precisar participar do governo”.
Questionado sobre se este é o momento certo para o PSDB sair da base aliada que dá sustentação ao governo Temer, Alckmin respondeu que, por ele, encerraria a aliança, mas ponderou que o partido tem responsabilidade com o país e que um eventual desembarque pode gerar tumulto num momento em que o governo federal já encontra dificuldades para aprovar a reforma trabalhista. As informações são de O Estado de São Paulo.


PULANDO FORA: "PSDB se reúne para decidir se deixa governo Temer"

Com visões desencontradas sobre o rumo que o PSDB deverá tomar em relação ao governo do presidente Michel Temer, lideranças do partido se encontram nesta segunda-feira em São Paulo para uma nova tentativa de construir um consenso interno e, assim, estancar a sangria da legenda.
O encontro, de iniciativa do governador Geraldo Alckmin, terá a presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, e do prefeito João Doria. Ele acontecerá no mesmo dia em que está prevista a divulgação do relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) na Comissão de Constituição de Justiça da Câmara (CCJ) sobre a denúncia contra Temer da Procuradoria-Geral da República.
Uma posição de Zveiter favorável à abertura de investigação contra o presidente no Supremo Tribunal Federal (STF), avaliam tucanos, poderá ser a gota-d’água para o PSDB deixar o governo. Preocupado com uma decisão nesse sentido, Temer procurou ontem, ao menos um dos governadores tucanos convidados por Alckmin para o encontro em São Paulo. O peemedebista pediu apoio para manter a sigla no governo. Marconi Perillo (GO) foi o único a confirmar presença no encontro até ontem à noite.