.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Morte de Schumacher “É uma questão de horas”, diz médico

Michael Schumacher está muito próximo da morte. Pelo menos é o que diz um dos neurocirurgiões que operou o piloto alemão, que sofreu um gravíssimo acidente quando esquiava nos alpes franceses, em 29 de dezembro de 2013.
“Ele não pesa mais do que 45 quilos e apenas um milagre pode mantê-lo vivo. Resta esperar. É uma questão de horas”, afirmou o médico, em entrevista ao site News Every Day.
Por ter batido a cabeça, o ex-campeão da Fórmula 1 entrou em coma e passou por diversas cirurgias. Schumi ficou seis meses em coma e despertou em junho de 2014. Depois disso, o alemão foi levado para casa, pela família, em setembro do mesmo ano. Desde então, o O heptacampeão da F1 vem recebendo acompanhamento 24 horas por dia.

CRISTÓVÃO BUARQUE: "A república enlouqueceu"

Após as reviravoltas no processo de impeachment, com a decisão de anular a votação da Câmara do presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), e depois de voltar atrás no próprio ato, somado ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que ignorou a decisão do colega parlamentar, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), afirmou que a “República enlouqueceu”.
“Maranhão teve alguma conversa com o Planalto e decidiu fazer esse gesto, demonstrando a força de quem chega debilitado. Ele falou dia desses: ‘vocês vão se surpreender comigo’. Ele está errado, mas o resto está errado também. Nós enlouquecemos. A República enlouqueceu, a meu ver. A cada minuto nós somos surpreendidos, ninguém sabe o que vai ser, nem amanhã na votação. Perdeu-se a lógica, a racionalidade. E acabou a política, tudo é o jurídico do regimento interno. Qual a lógica do Renan também?”, disse o senador.
Cristovam afirma ter a impressão de estar num tsunami, querendo se agarrar num graveto. “Aí, esse graveto vai embora e você se agarra em outro graveto e ele vai embora. Vou dar mais um detalhe dessas coisas ilógicas. Eu já defendi meu voto quarta-feira pela abertura do processo. Mas está chegando a notícia que [o vice-presidente Michel] Temer vai acabar com a lei do piso salarial. Se a notícia se confirmar, como votar? Esse cara vai virar presidente”, afirmou.

RN: "MP apura 'possível ato de improbidade' do governador do RN"

O Ministério Público do Rio Grande do Norte instaurou inquérito civil para apurar "possível prática de ato de improbidade administrativa" cometida pelo governador do Estado, Robinson Faria (PSD). O procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, se baseou em representação encaminhada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público da Comarca de Natal noticiando que Robinson teria regulamentado, através de decretos, o pagamento de pensão eletiva aos ex-governadores Lavoisier Maia Sobrinho e José Agripino Maia.
A portaria que instaura o inquérito foi publicada na edição desta terça-feira (10) do Diário Oficial do Estado. De acordo com o texto do documento, Robinson Faria, por atos normativos e com efeito retroativo, elevou "consideravelmente o valor até então pago – de aproximadamente R$ 11 mil para R$ 33.823". Segundo a representação, esses atos normativos seriam irregulares, "pois, em tese, contrariaram normas orçamentárias e administrativas, o que pode configurar ato de improbidade administrativa".
O procurador Rinaldo Reis, ainda na portaria, determina que o governador Robinson Faria seja notificado e que preste informações por escrito, no prazo de 10 dias, sobre a representação da Promotoria do Patrimônio Público.
Outro lado
No início da tarde, o Governo do Estado emitiu nota sobre o inquérito alegando que os atos não foram iniciativa da atual administração. "A publicação dos decretos no dia 24 de setembro de 2015 foi um ato meramente formal, para regularizar uma situação ja existente há décadas, em virtude do extravio dos autos dos procedimentos administrativos de concessão das pensões pela Administração Pública. A publicação teve efeitos retroativos à data da concessão tão somente para legitimar o ato, não havendo efeitos financeiros nem diferenças a serem pagas", diz a nota.

O Governo lembra ainda que "o benefício está previsto na Constituição do Estado do Rio Grande do Norte, no artigo 175, vigente ao tempo das concessões, e já vem sendo pago regularmente ao longo dos anos. De acordo com os registros da folha de pagamento da Secretaria de Administração do Estado, o ex-governador Lavoisier Maia recebe a pensão desde abril de 1983; e o ex-governador José Agripino Maia, desde abril de 1987. O valor pago atualmente, em obediência a Lei nº 9.932/2015, é de R$ 21.914,76. Portanto, importante ressaltar que não se trata de atos de concessão do benefício nem de majoração ilegal de valores, mas exclusivamente de regularização de uma situação já consolidada".
A nota é concluída com o Governo do RN informando "que ainda não recebeu notificação da instauração do inquérito civil por parte do Ministério Público Estadual e que, logo que isso ocorra, prestará as informações cabíveis ao processo".

SANTANA DO SERIDÓ: "Entrevista exclusiva com o Presidente da Câmara Municipal Ivan Dantas"



O Presidente da câmara Municipal de Santana do Seridó Ivan Dantas concedeu entrevista ao Blog do Ivanildo Souza, onde destacou a importância das melhorias realizadas naquela Casa Legislativa através de seu mandato popular.

PARELHAS: "Prefeito Francisco Medeiros participa de Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios"

Em busca de recursos federais, o prefeito Francisco Medeiros viajou a capital federal para participar da 19ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, realizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). O evento acontece desta segunda-feira (9) até a próxima quinta (12).
Mesmo em um momento de instabilidade, de uma crise política e econômica, que pode significar a saída da presidente Dilma Rousseff (PT), os prefeitos que participam do encontro buscam recursos para suprir perdas com o Fundo de Participação dos Municípios (FMP), que nos quatro primeiros meses do ano ultrapassa os R$ 59 milhões.
Francisco Medeiros afirmou que o objetivo da Marcha é tentar viabilizar verbas para os municípios. Segundo ele, as prefeituras vivem em situação “terrível” devido à queda de receita, e à redução do FPM. “Estamos tentando manter as aplicações nos serviços essenciais, como saúde e educação. É bom entender que essa crise não foi criada por nós”. Disse o prefeito.
Além de Francisco Medeiros outros Prefeito da região do Seridó também estão em Brasília participando do encontro na tentativa de buscar soluções para a grave crise financeira que afeta os municípios do Brasil e do Seridó.

VOLTOU ATRÁS: "Maranhão recua e revoga decisão de anular sessão do impeachment"

O presidente em exercício da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu na madrugada desta terça-feira (11) revogar a decisão que proferiu pela manhã para tentar anular a sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
A Secretaria Geral da Mesa da Câmara recebeu a decisão da revogação por volta de 00h20. Maranhão assinou dois ofícios (veja ao final desta reportagem) – um com a revogação da decisão e outro destinado ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), informando sobre a nova deliberação, que deverá ser publicada nesta terça (11). O processo de impeachment tramita desde a semana passada no Senado e será votado no plenário nesta quarta-feira (10).
“Revogo a decisão por mim proferida em 9 de maio de 2016 por meio da qual foram anuladas as sessões do plenário da Câmara dos Deputados ocorridas dias 15, 16 e 17 de abril de 2016, nas quais se deliberou sobre a Denúncia por Crime de Responsabilidade n.1/2015”, diz o texto do ofício assinado por Waldir Maranhão.

TOMA LÁ, DÁ CÁ: "Negociações por ministérios geram tensões na relação entre PSDB e Temer"

A formação do Ministério de um eventual governo do vice-presidente Michel Temer está gerando conflitos entre o PMDB e o PSDB, principal partido de oposição que irá a apoiar a nova gestão, caso a presidente dilma Roussef seja afastada. Aliados de Temer têm se queixado de que, apesar de não admitir publicamente, a cúpula tucana está pressionando para ter mais e melhores cargos no hipotético governo, dificultando a distribuição de pastas entre os aliados. No PSDB, cresce a irritação com o que está sendo considerado um desprestígio com o partido e as acusações de que estariam barganhando cargos. Cotado para assumir a Casa Civil, o ex-deputado Eliseu Padilha afirmou nesta segunda-feira que a equipe de Temer resolveu trabalhar para formar um um governo com 23 ministérios.
Nos últimos dias, auxiliares de Temer têm atribuído parte das dificuldades em fechar a composição ministerial à impossibilidade de agradar os tucanos. Um peemedebista que participa das negociações ironizou a postura do presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG). Publicamente, Aécio diz que o partido irá apoiar o eventual governo Temer, sem fazer indicações para ministérios, mas sem vetar a ida de integrantes da sigla caso sejam convidados pelo vice-presidente.