.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

SANTANA DO SERIDÓ: "Acompanhe ao vivo sessão da Câmara Municipal"

AGORA SÃO 12: "Mais da metade dos ministros empossados estão envolvidos na Lava-Jato"

Dinheiro de empresas envolvidas no esquema revelado pela Operação Lava Jato irrigou as campanhas de 12 dos 13 ministros nomeados pelo presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), que se candidataram a algum cargo eletivo em 2014. Os recursos foram repassados de forma legal e declarados à Justiça Eleitoral.
A exceção é Ronaldo Nogueira (Trabalho). Quando concorreu a vaga de deputado federal pelo PTB do Rio Grande do Sul, o agora ministro recebeu R$ 393 mil em doações. Na sua prestação de contas não há registro de empresas citadas na Lava Jato.
Os que declararam doações de empresas que estão na mira da Lava Jato foram José Serra (Relações Exteriores), Henrique Eduardo Alves (Turismo), Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), Blairo Maggi (Agricultura), Maurício Quintela (Infraestrutura, Portos e Aviação), Raul Jungmann (Defesa), Mendonça Filho (Educação e Cultura), Leonardo Picciani (Esporte), Osmar Terra (Desenvolvimento Agrário), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Bruno Araújo (Cidades) e Ricardo Barros (Saúde).

CURRAIS NOVOS: "Operação “Madrugada Segura” prende Parelhense com crack e maconha"

Policiais militares da 3ª CIPM apreenderam por volta das 22h00 deste sábado (14/5), meio quilo de crack e 250 gramas de maconha que estava na bagagem da jovem Rosimere Salustio de Oliveira, 18 anos, natural e residente em Parelhas que seguia de ônibus de Natal com sentido a Parelhas.
A abordagem foi no município de Currais Novos, onde os Policiais realizavam uma barreira, na entrada da cidade, durante a operação “Madrugada Segura” que visa combater crimes como; Tráfico de drogas, tráfico de armas de fogo, contrabando, explosão de caixa eletrônico, entre outros. Várias abordagens foram realizadas em veículos particulares, táxis e alternativos que trafegavam por Currais Novos.

CURRAIS NOVOS: "Vereador descarta se aliar a família Gomes"

O vereador João Neto do município de Currais Novos, concedeu entrevista na manhã de ontem, sábado (14) aos jornalistas Ismael Medeiros e Denise Santos, no “Em Debate”, na Rádio Currais Novos.
Na oportunidade o vereador João Neto descartou qualquer possibilidade de voltar a se aliar aos Gomes, especificamente a Carlson Gomes.
Provocado sobre essa possibilidade, João disse “de lá eu já vim, não posso estar brincando com o povo assim”, salientando que teve uma educação, que o impede de retroceder desta forma.

CRISE: "Ministro da Saúde diz que não há recursos e sugere melhoria de gestão"

O ministro da Saúde Ricardo Barros (PP) disse em Maringá, no norte do Paraná, neste domingo (15), que não há recursos e que prefeitos e governadores terão que realizar uma gestão eficiente para aproveitar a verba disponível.
“Não há recursos. Nós vivemos uma enorme crise fiscal. O meu esforço será fazer com que o governo pague os recursos que estão alocados no orçamento. Se o governo cumprir o que está no orçamento, nós cumpriremos todos os contratos que estão feitos, faremos todos os repasses. Agora, aumentar recursos eu não posso prometer”, disse o ministro.
O ministro visitou o hospital Municipal de Maringá na manhã deste domingo e depois se reuniu com gestores municipais da saúde. Barros ainda mencionou que gastar bem os recursos é uma obrigação e que não há solução mágica para melhorar a situação da Saúde no país.

BRASIL: "Manifestantes contra e a favor do impeachment se enfrentaram ontem, na avenida Paulista."

Manifestantes a favor e contra o impeachment, se enfrentaram ontem (15), em frente à sede da Fiesp, no início da noite. Houve empurra-empurra, gritos, provocação e tensão entre os dois lados. Mesmo com a presença da polícia que fez um cordão de isolamento, o clima se tornou muito tenso, mesmo sem agressão, ainda que os dois lados tenham se provocado bastante.
A Polícia Militar não interveio no empurra-empurra, mas criou uma linha de isolamento com policiais em frente às barracas, para defender os manifestantes acampados em frente ao prédio da Fiesp, desde meados de março e que mesmo em menor número, ainda estão lá, hoje.