.

quinta-feira, 3 de março de 2016

RN: "Corrupção e escândalos na Assembléia Legislativa"

Em toda imprensa, escrita e falada, não se fala em outra coisa que não seja a corrupção que assola a Assembléia Legislativa do estado do Rio Grande do Norte.
O Ministério Público desencadeou uma verdadeira FARRA com o dinheiro público, "mascarado" de cargos comissionados.
Para que o leitor tenha uma ideia, são quase 3.000(três mil) cargos de comissão, além de "funcionários" efetivados sem realização de concurso, fora contratos e outras mazelas que ainda não nos foi revelado.
De acordo com a reportagem do RNTV, a AL passou vários anos negando ao Ministério Público informações a respeito do caso, que só agora tornou-se público.
O Presidente da instituição Deputado Ezequiel Ferreira do PMDB, disse que já está tomando as providências, mas no entanto APENAS,  700(setecentos) dos quase 3.000( três mil) cargos foram exonerados, ficando ainda quase 2.300(dois mil e trezentos).
O povo do Rio Grande do Norte espera medidas mais profundas do Presidente e não apenas exoneração de "meia dúzia" de comissionados.



BRASÍLIA: "O Cavaleiro solitário Jarbas Vasconcelos"

Por Josias de Souza
Espécie de cavaleiro solitário no PMDB, o deputado Jarbas Vasconcelos (PE) avalia que a tranqulidade imperial do também peemedebista Eduardo Cunha precisa ser interrompida. Diante da conversão de Cunha em réu no STF, Jarbas avalia que é preciso arrancá-lo da poltrona de presidente da Câmara. O deputado cobra providências dos líderes partidários. Algo que vá além do gogó.
“Cabe agora ao colégio de líderes da Câmara adotar providências imediatas para o afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Casa. O cinismo que vigora na Câmara tem limite. É uma imoralidade e uma indecência ele ainda presidir a Câmara dos Deputados. Os líderes dos partidos, que têm vez e voz, têm que tomar providências, precisam agir.”
Os líderes reúnem-se semanalmente com Cunha para definir a pauta de projetos a serem votados no plenário da Câmara. No final do ano passado, lideranças oposicionistas esboçaram um boicote à reunião. Durou pouco. A normalidade atípica logo foi restabelecida.
Para Jarbas, a decisão do STF de transformar a denúncia contra Eduardo Cunha em ação penal, enviando-o ao banco dos réus, tornou inaceitável o que já era inacreditável. “Se uma pessoa sem ética e sem moral conduz os trabalhos da Câmara e os demais deputados aceitam que isso aconteça, todos acabam se nivelando a ele. É uma situação que revolta o povo e que deveria envergonhar os parlamentares. Todo o país está acompanhando essa vergonha que está acontecendo na Câmara.”
Nesta quarta-feira, nas pegadas da sessão do STF em que se formou a maioria de seis votos contra Cunha, líderes oposicionistas escalaram a tribuna para defender a saída do réu do comando da Câmara. Mas não há, por ora, vestígio de uma articulação capaz de transformar o vapor das palavras na energia que impulsiona os gestos.


O QUE ELES TEMEM?: "DEM de José Agripino e PPS de Wober Júnior recorrem ao Judiciário para impedir nomeação de ministro da Justiça"

Deputados de dois partidos de oposição anunciaram hoje (1º) que recorreram à Justiça para tentar impedir a nomeação do ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva, que é membro do Ministério Público da Bahia. O DEM entrou com uma ação popular na Justiça Federal no Distrito Federal e o PPS pediu ao Conselho Nacional do Ministério Público que não conceda licença para que Lima e Silva assuma o cargo. A posse de Lima e Silva está marcada para quinta-feira (3).
De acordo com o PPS, precedentes relatados pelo ministro Ricardo Lewandowski e pelo ministro aposentado Maurício Correa, do Supremo Tribunal Federal (STF), definiram que é inconstitucional a nomeação de membros do Ministério Público para exercer cargos de ministro e de secretário de Estado ou do Distrito Federal. Para a legenda, o afastamento de um procurador ou promotor para exercer outra função só pode ocorrer dentro da estrutura do MP.

Águas do São Francisco devem entrar no RN por dois canais

A responsabilidade por fazer chegar a água do Rio São Francisco aos domicílios será do próprio Estado. A competência do Governo Federal, de acordo com Osvaldo Garcia, secretário de infraestrutura do Ministério da Integração Nacional é se responsabilizar pela chegada das águas aos principais reservatórios de cada Estado.
No Rio Grande do Norte, por exemplo, Osvaldo explicou que vai entrar por dois canais, um deles é o da Bacia Piranhas/Açu, e o outro pela Bacia do Apodi, cujo canal poderá chegar até a Angicos e Santa Cruz.