.

quinta-feira, 28 de junho de 2018

ELEIÇÕES 2018: "Pré-candidatura de Francisco Medeiros ganha força em Mossoró e na Região Oeste"

O recém filiado ao Partido dos Trabalhadores, empresário mossoroense Wilson Fernandes, conhecido como Wilson da WR, fechou apoio à pré-candidatura a deputado estadual do professor e ex-prefeito de Parelhas, Francisco Medeiros.

O encontro entre Francisco e Wilson aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (27), em Mossoró. "Tinha informações positivas da gestão de Francisco como Prefeito de Parelhas e vi no seu nome um potencial para ser um grande deputado. Francisco é do Seridó, mas está construindo uma relação de muita proximidade com nossa cidade”, destacou Wilson Fernandes.

Francisco Medeiros agradeceu o apoio do empresário e avalia que pelos apoios que vem recebendo em Mossoró ao projeto de chegar à Assembleia, só aumenta sua responsabilidade com o município.

“Esta é a segunda vez que venho a Mossoró em pouco mais de 30 dias e tenho saído daqui muito animado. O apoio de Wilson Fernandes é de extrema importância para nosso projeto de garantir que o Partido dos Trabalhadores continue com a sua representatividade na Assembleia", disse Francisco do PT.

O pré-candidato a deputado estadual também chamou a atenção para a candidatura da senadora Fátima Bezerra: “Precisamos eleger nossa companheira Fátima Bezerra governadora e ter uma boa bancada de sustentação ao seu governo”. Finalizou

Ainda na cidade o pré-candidato cumpriu agenda com lideranças da rede estadual da educação e também conquistou novos apoios para o projeto de chegar a Assembleia Legislativa.


Advogado Jorge Guimarães lançará pré-candidatura a deputado estadual neste sábado(30)

Defendendo a renovação na Assembleia Legislativa e o corte dos inúmeros benefícios destinados aos parlamentares, o advogado Jorge Guimarães fará neste sábado, 30, a partir das 16 horas, o lançamento da sua pré-candidatura a deputado estadual pelo Avante. O evento político vai acontecer na Rua São Januário 1763, no bairro da Candelária, onde Guimarães irá receberá os seus apoiadores.
“Pretendo lutar pela igualdade e oportunidade de direitos para todos”, diz o pré-candidato, que também afirma que colocará o seu eventual mandato para representar a classe dos advogados criminalistas do Rio Grande do Norte.
Para Jorge Guimarães, o eleitor deverá, no pleito de outubro próximo, procurar votar em candidatos novos e que tenham visão política, além de projetos para o Rio Grande do Norte. Segundo ele, se eleito, irá cortar todos os benefícios parlamentares e implantar projetos sociais, como o “Luz é Cidadania Todo Dia”.
Outros pré-candidatos também movimentam suas bases neste mês de junho, aproveitando os festejos juninos para dar o pontapé inicial das suas candidaturas.
Blog A Fonte

ELEIÇÕES 2018: "Escândalos devem pautar eleições no RN"

Lava jato, Dama de Espadas, Cidade Luz, Candeeiro, Sinal Fechado e etc…

Os escândalos de corrupção envolvendo a maioria da classe política potiguar vai pautar os embates eleitorais no RN.

Os debates serão acalorados!

AquiRN



POLÍTICA: "Quase 100% dos deputados alvos da Lava Jato disputam as eleições"

Um levantamento feito pelo jornal O Estado de São Paulo mostrou que, dos 55 deputados federais alvo de inquéritos e ações penais na Operação Lava Jato, 50 (o equivalente a 91% do total) vão disputar as eleições deste ano.

Caso sejam eleitos novamente, eles continuarão com direito a foro privilegiado. Com isso só podem ser investigados e julgados em casos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF). Com o novo entendimento firmado pelo STF, no entanto, o foro para parlamentares federais só vale para crimes praticados no mandato e em função do exercício do cargo. Crimes comuns realizados antes de assumirem seus cargos ou sem nenhuma ligação com os mandatos podem ser julgados por tribunais de primeira instância.

Com a mudança de entendimento do STF, no início deste mês, ao menos 68 casos envolvendo deputados e senadores já foram enviados pela Corte para outras instâncias da Justiça.

Um levantamento feito com dados do período entre janeiro de 2007 e outubro de 2016 mostrou que em 96,5% das ações penais contra parlamentares no Supremo Tribunal Federal (STF) não houve nenhuma punição ao parlamentar réu.