.

terça-feira, 25 de abril de 2017

POLÍTICA: "Rogério Marinho é o político mais hostilizado no RN"

O deputado Rogério Marinho tem se transformado numa mistura de Bolsonaro e Maluf do RN em termos de hostilidade.
Com suas posições contra aposentados, trabalhadores e professores, Rogério tem sido o campeão em receber hostilidades do RN.
Até malhado como Judas ele já foi.
Blog do Primo

DESTAQUE: "Dra Paula Medeiros parabeniza seu irmão Ricardo de Zeca"

A nutricionista Dra Ana Paula Medeiros enviou ao Blog, felicitações, em resultância do aniversário de seu irmão, o empresário Ricardo de Zeca.
"Gostaria de aproveitar esse espaço, para parabenizar uma pessoa muito importante na minha vida e na vida de nossa família, que é o meu irmão Ricardo, esse homem batalhador que nos enche de orgulho.
Parabéns meu querido irmão, que essa dada se repita por muitos anos, para que possamos desfrutar dessa imensa alegria de termos você conosco".

Feliz Aniversário!

De sua irmã Ana Paula Medeiros

BLOG INFORMA: "Neste domingo tem festa do trabalhador no Recanto Verde á partir das 15h"


PARELHAS: "Secretário com prazo de validade"


Parece até brincadeira, mas o Blog soube de uma fonte segura, que o Secretário de Saúde do município de Parelhas, Alexandre Policarpo, já assumiu a pasta com prazo de validade,
Segundo informações, o secretário deverá ficar apenas até o mês de junho e que isso já havia sido colocado no momento de sua nomeação. Teria sido mais ou menos assim: "Vou aceitar o convite e vou dá minha parcela de  contribuição, mas só fico até junho"

Será verdade isso?




VÍDEO: "Líder sindical detona Rogério Marinho: "Deputado, tua foto será fixada em imãs de geladeira em todos os lares. Ninguém vai esquecer o nome do responsável pelo fim dos nossos direitos."

ROMPIMENTO: "PSB rompe com governo Temer"

Após o fechamento de questão contra as reformas trabalhista, da previdência e política que prevê a lista fechada, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e outros dirigentes da legenda, deixaram claro que, sem a chancela de cargos no ministério e votando contra as principais matérias do governo, o PSB não pertence a base de Michel Temer, e com essas posições oficiais, é oposição. Os dois líderes do partido na Câmara, Teresa Cristina (MS), e do Senado, Fernando Bezerra (PE), foram votos vencidos contra o fechamento de questão nas bancadas.
– O partido nunca esteve no governo. Esse governo não nos representa. Fica inviabilizada nossa permanência na base. Quem está lá sem a indicação do PSB, é quem tem que se resolver. É prudente que o Palácio do Planalto comece a contabilizar votos a menos – disse o vice-presidente de relações governamentais do PSB, Beto Albuquerque.
– Se estamos contra as principais reformas e programas do governo consideradas essenciais, tire suas próprias conclusões – disse o presidente Carlos Siqueira.
Sobre as punições aos parlamentares que não cumprirem a decisão e votarem a favor das reformas, Siqueira lembrou que o estatuto prevê de advertência até expulsão, mas fez um apelo para que cumpram a posição da Executiva Nacional.


DENÚNCIA: "Bolsonaro usa cota parlamentar em pré-campanha"

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem usado sua cota parlamentar para custear viagens pelo país em que se apresenta como pré-candidato à Presidência em 2018.
A cota reembolsa viagens e outras despesas do mandato. Nas regras de uso, a Câmara diz que “não serão permitidos gastos de caráter eleitoral”.
O conteúdo das falas de Bolsonaro, contudo, é explicitamente voltado à disputa de 2018, em que aparece com 9%, segundo mostrou o Datafolha em dezembro.
Nos últimos cinco meses, ao menos seis viagens em que o deputado tratou publicamente de sua intenção de concorrer ao Planalto foram custeadas pela Câmara. Somam R$ 22 mil.
Mesmo em cidades onde ele não deu palestras, um roteiro se repetiu: chegada no aeroporto recepcionado por uma claque aos gritos de “mito” e “Bolsonaro presidente”.
O deputado nega estar em campanha e atribui as viagens à participação na Comissão de Segurança Pública da Câmara –onde é suplente.
Em novembro, a Câmara gastou R$ 2.500 para Bolsonaro ir ao Recife, onde deu palestra na Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados. Foi apresentado como “futuro presidente do Brasil, o nosso mito”. Na ocasião, Bolsonaro disse que “vamos ganhar em 2018, porque somos a maioria no Brasil, homens de bem”.
Dias depois, ele viajou a Boa Vista (RR) por R$ 4.500, acompanhado de um assessor, cujas passagens, de R$ 4.000, também foram pagas com a cota parlamentar.
Blog do Primo

POLÍTICA: "Presidente nacional do PSB diz que João Dória age com canalhice"

A relação entre PSB e PSDB nos últimos anos ficou mais estreita, mas nesta segunda-feira, durante a abertura de um seminário para prefeitos filiados à legenda socialista, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, criticou um dos principais tucanos em evidência, o prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB).
Em seu discurso para os prefeitos e vice-prefeitos participantes do evento, realizado em Brasília, Carlos Siqueira questionou o discurso utilizado por Dória na campanha municipal e a postura do integrante do PSDB após ter assumido o posto de prefeito.
“Antes de vocês serem administradores, vocês são políticos. Essa canalhice de dizer que não é político para disputar a eleição é canalhice”, disse, referindo-se à principal linha do discurso de João Dória, que construiu sua imagem na campanha renegando ser um político profissional.
Ainda referindo-se a João Dória, Carlos Siqueira lembrou uma das primeiras ações do prefeito de São Paulo ao assumir a administração da capital paulista.
Bota uma farda de gari e vai para a rua, mas nunca varreu nem a calçada da casa. É canalhice do senhor Dória, de quem faz isso, de quem é político e diz que não é político. Somos políticos e nos orgulhamos de sermos políticos. Política é a mais nobre atividade que se pode exercer na humanidade. E político socialista é mais nobre ainda porque tem ideais nobres, que vão alem de um governo”, afirmou.
Blog do Primo


LULA: "A hora em que Moro marcar estarei em Curitiba para depoimento"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (24) que seu depoimento a Sergio Moro será sua “primeira grande oportunidade” de se defender e que a hora que o juiz marcar sua ida a Curitiba, estará lá para “falar a verdade”.
“Estou tranquilo, não estou preocupado com a data. A data é do juiz Moro. A hora que ele marcar, estarei em Curitiba”, disse Lula durante evento do PT em Brasília.
“Quero comparecer porque é a primeira grande oportunidade que eu não vou ser atacado pelas revistas e televisões. Eu vou ter, de viva voz, o direito de me defender. No meu primeiro depoimento, o horário é meu. Faz três anos que estou ouvindo”, completou o petista.
Blog do Primo

ELEIÇÕES 2018: "Opções presidenciais do PSDB viraram estorvo"

Faltam 17 meses para a eleição presidencial de 2018. E o PSDB, antes uma opção real de poder, está afogado em suas contradições. O tucanato vive uma experiência parecida com a de um cachorro que corre atrás de carros. Persegue o seu alvo por algum tempo. Dá a impressão de que vai trucidá-los. Mas acaba desistindo. Os tucanos passaram os últimos anos correndo atrás do PT aos gritos de ‘pega ladrão’. De repente, foram atropelados pela Lava Jato. E estão jogados na mesma UTI em que se encontram o PT e o resto do sistema político brasileiro.
Os três candidatos que o PSDB tinha a oferecer ao eleitorado, politraumatizados, perderam o rumo, o discurso e a pose. Continuam achando que vieram ao mundo como exemplo. Mas já não sabem de quê. Quando os tucanos acordarem do estado de coma, vão descobrir que acorrentaram seu futuro na biografia de um personagem que encanta a plateia renegando a condição de político.
O PSDB caiu na seguinte armadilha: o prefeito João Dória, o tucano que aparece nas pesquisas com alguma viabilidade eleitoral, só pode admitir suas pretensões presidenciais depois que Geraldo Alckmin, Aécio Neves e José Serra reconheceram que viraram matéria-prima de inquéritos. O problema é que os marqueses tucanato tratam o assunto com a mesma arrogância que enxergavam no PT. Falta aos ex-competitivos a coragem para assumir a nova condição de estorvos.


Blog do BG



BRASIL: "STF pode soltar ex-ministro José Dirceu nesta terça"

O STF (Supremo Tribunal Federal) pode determinar nesta terça (25) que José Dirceu saia da prisão. O habeas corpus apresentado por seus advogados será apreciado por cinco ministros de uma das turmas do STF.
OLHARES
Há uma grande expectativa na comunidade jurídica em torno do julgamento: caso os magistrados determinem que Dirceu seja posto em liberdade, será uma sinalização de que o STF estaria disposto a rever as “alongadas prisões que se determinam em Curitiba, termo já usado por um dos ministros da turma, Gilmar Mendes. Caso Dirceu permaneça detido, o resultado será visto como um endosso da Corte às detenções determinadas pelo juiz Sergio Moro.
DEGRAU
O argumento para que Dirceu seja solto é o de que, embora condenado por duas vezes pelo juiz Sergio Moro, o caso dele ainda não foi julgado em segunda instância. E a lei determina que o acusado responda em liberdade até que isso ocorra.
DOUTRINA
O mesmo fundamento embasou a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que colocou o goleiro Bruno em liberdade em fevereiro.
DOUTRINA 2
Fazem parte da segunda turma os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Edson Fachin.



Blog do BG


EDITORIAL: "Sabotagem contra a Lava Jato vem do próprio MPF"


OPINIÃO ESTADÃO DESTA TERÇA-FEIRA:
Quem quiser identificar um foco de sabotagem contra a continuidade das investigações da Operação Lava Jato, que estão sendo conduzidas pela força-tarefa da Procuradoria-Geral da República (PGR), não precisa ir muito longe. Basta olhar para o próprio Ministério Público Federal (MPF).
Numa proposta que não deixa margem a dúvidas quanto às verdadeiras intenções de sua autora, a subprocuradora-geral da República Raquel Elias Dodge apresentou ao Conselho Superior da instituição um projeto de resolução que obriga o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a ter de mudar a equipe que o assessora no momento em que a Lava Jato se encontra numa de suas fases mais importantes.
A votação da proposta só não foi concluída na sessão de ontem porque Rodrigo Janot pediu vista, quando 7 dos 10 conselheiros já haviam se manifestado a favor da resolução e 1 contra. O procurador-geral alegou que em momento algum foi consultado sobre a resolução e afirmou que, por causa das especificidades técnicas das investigações, não tem como mudar sua equipe. Como só faltam votar dois conselheiros, a aprovação da resolução é uma questão de tempo.
Entre outras inovações, o projeto de resolução limita em 10% o número de procuradores que uma unidade do Ministério Público Federal pode ceder para participar de investigações em outra unidade. Isso atinge o coração da Operação Lava Jato, pois desde sua instalação ela sempre contou com especialistas do MPF vindos de todo o País. Só no caso da Procuradoria Regional do Distrito Federal, por exemplo, 8 dos 29 procuradores federais – cerca de quase 30% – estão atuando nos tribunais superiores em nome da PGR. O órgão é responsável não apenas pelas investigações de quem tem foro privilegiado, como, igualmente, pela formalização dos grandes acordos de delação premiada que envolvem parlamentares e empreiteiras do porte da Odebrecht e da OAS.
No total, há atualmente 41 procuradores federais cedidos à Procuradoria-Geral, dos quais 10 estão trabalhando na Operação Lava Jato. Sua substituição, por causa da resolução que está sendo votada pelo Conselho Superior do MPF, poderá retardar as investigações, pois os novos procuradores que Rodrigo Janot terá de nomear precisarão de tempo para conhecer os processos. E, como o próprio Janot alegou, a PGR não dispõe de especialistas em número suficiente para conduzir as investigações mais complexas. Essa morosidade era tudo o que os advogados dos réus queriam, para tentar fazer com que as ações penais de seus clientes prescrevam.
O projeto de resolução estabelece ainda um prazo máximo de quatro anos para que um procurador federal possa atuar fora de sua unidade de origem. Como a força-tarefa da PGR em Curitiba começou a trabalhar há mais de três anos, isso significa que os membros do MPF a ela cedidos também terão de ser substituídos até o final do ano. Essa é mais uma inovação intempestiva que pode gerar problemas de descontinuidade nas investigações e comprometer a coleta das provas necessárias para fundamentar a proposição de ações penais contra políticos e empreiteiros.
O mais grave é que nem mesmo as entidades de procuradores da República – cujos dirigentes são candidatos ao cargo de Janot, que será substituído em setembro – se opuseram à resolução. “Não há ninguém insubstituível. A Operação Lava Jato é um trabalho de instituição, não um trabalho de apenas alguns colegas, por mais brilhantes que sejam”, disse ao jornal O Globo o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti.
Fica evidente que, por trás do projeto de resolução apresentado ao Conselho Superior do Ministério Público Federal, há irresistíveis pressões corporativas, pois notáveis personagens desse edificante episódio almejam suceder a Rodrigo Janot, preocupando-se mais com suas aspirações do que com a mais importante investigação que a instituição do Ministério Público já conduziu na história do País.



Blog do BG