.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

PARELHAS: "Prefeito Alexandre declara apoio a pré-candidatura de Francisco do PT"

Durante entrevista à radialista Joelma de Souza, no programa Revista da Rural, na manhã desta quinta-feira (16), o prefeito de Parelhas, Alexandre Petronilo, deixou muito claro quem é o nome que vai apoiar nas eleições do próximo ano, para deputado Estadual.

Respondendo perguntas dos internautas, o prefeito disse que apóia o projeto de Francisco Medeiros, que é pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa do RN.

 Francisco, que é ex-prefeito do município e apoiou a candidatura de Alexandre, é hoje um dos principais nome do PT no estado, para disputar o cargo.

"Eu apoio Francisco e já estamos trabalhando para o projeto". Declarou Alexandre


ATAQUE: "Na TV, PMDB ataca Janot e delatores"

O PMDB vai usar a propaganda partidária que veiculará a partir de hoje no rádio e na TV para atacar as investigações da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer e seus ministros mais próximos, Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral) e, temendo novas investigações, dirá que “os ataques” ao governo devem continuar, numa tentativa de criar uma vacina contra novos escândalos.
Temer foi alvo de duas denúncias do ex-procurador-geral Rodrigo Janot por organização criminosa, obstrução de justiça e corrupção passiva. Ambas foram rejeitadas pela Câmara dos Deputados e o presidente só poderá ser investigado por essas acusações em janeiro de 2019, quando deixa o cargo.
Temer aparece em um vídeo atacando “injustiças” de que diz ter se livrado. As informações são de O Globo.

JOÃO DÓRIA: "Igrejas podem e devem pagar impostos também"

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), declarou nesta quinta-feira (16) que a proposta de isenção fiscal para templos religiosos da cidade foi uma “iniciativa de um vereador”. “Eu não vi pressão por parte das igrejas”, disse durante agenda oficial em São Miguel Paulista, na zona leste da capital.
“As igrejas têm se comportado de forma muito correta com a Prefeitura de São Paulo e a Prefeitura de São Paulo tem também tido um comportamento bastante correto”, afirmou o tucano.
Na quarta-feira (15), Doria sancionou a Lei 16.575/17, que instituiu mudanças na cobrança de Imposto Sobre Serviços (ISS), o que incluiu a cobrança de taxas a serviços de streaming, como Netflix e Spotify. Ele vetou, contudo, uma emenda proposta pelo vereador Eduardo Tuma (PSDB), vice-presidente da Câmara Municipal de São Paulo, que garantia isenção a templos. As informações são da Agência Estado.