.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

SANTANA DO SERIDÓ: "Acompanhe ao vivo a 16ª sessão do Poder Legislativo"


REFORMA TRABALHISTA: "Diarista é demitida por ter usado banheiro da casa da patroa"

Circula nas redes sociais desde a quarta-feira (22), a partir de publicação feita no perfil “Eu, empregada doméstica”, do Facebook, o diálogo polêmico entre uma patroa e sua diarista.
Na troca de mensagens, feita via WhatsApp, a patroa afirma que não gostaria mais de contar com os serviços da doméstica. Motivo: ela ter usado o banheiro da casa.
“Não quero que você venha mais. Não me leve a mal, mas da última vez que você veio não de algumas coisas que você fez”, escreve a patroa. “Nossa, desculpe, mas o que eu fiz? A faxina não ficou boa?”, pergunta a diarista. “Sim, estava ótima. O problema não é esse. Aqui em casa só temos um banheiro e você utilizou porque eu ouvi a descarga. Sabe, isso é anti higiênico como você utiliza o banheiro da casa dos outros? Você faz isso na casa das pessoas que você trabalha”, responde.
A diarista ainda foi chamada de nojenta e mal educada pela empregadora, que prometeu “espalhar no face” o episódio para “nenhuma patroa te pegar”.
AgoraRN

POLÍTICA: "PMDB, DEM e PDT devem formar aliança no Rio Grande do Norte"

O PMDB presidido pelo Senador Garibaldi Alves Filho, o Democratas do senador José Agripino Maia e o PDT do prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves devem mesmo formalizar uma aliança para disputa eleitoral de 2018.
Os dois senadores tentarão renovar seus mandatos no Senado Federal, enquanto que Carlos Eduardo vem trabalhando para ser candidato a governador.
O PSDB, PP e PR podem vim a aderir ao projeto político desses partidos em 2018, alguns espaços precisam ser preenchidos, como os de 1° e 2° suplente dos senadores como o do companheiro(a) da chapa do pré-candidato ao governo Carlos Eduardo Alves.

MOBILIZAÇÃO: "Centrais marcam greve geral contra reforma da Previdência para o dia 5"

As centrais sindicais decidiram parar no dia 5 de dezembro em protesto contra a reforma da Previdência, na véspera da data em que o governo pretende levar o projeto à votação. Segundo o secretário-geral da Força Sindical, José Carlos Gonçalves, o Juruna, a ideia é concentrar o movimento nas capitais. “Vamos reforçar a mobilização no setor de transportes”, diz Juruna.
Segundo Antonio Neto, presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), “haverá forte resistência do movimento sindical contra a intenção do governo e do Congresso em terminar o serviço com a retirada dos poucos direitos dos trabalhadores”.
O secretário de Organização da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Chiquinho Pereira, afirma que as centrais deixaram a reunião motivadas diante da responsabilidade de mobilização.


MESCLADO: "Palanque de Alckmin para 2018 terá ideias de direita e de esquerda"

Investimentos em programas sociais, privatizações e uma política dura de segurança deverão estar juntos no palanque de Geraldo Alckmin (PSDB) em 2018.
Para furar a polarização entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PSC) na campanha presidencial, o tucano começou a montar um discurso híbrido em sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto.
O objetivo do governador paulista é se consolidar como o principal nome de centro na disputa, absorvendo plataformas identificadas com a direita –como o aperto das contas públicas– e bandeiras a esquerda –como a participação do Estado na redistribuição de renda.
Nas palavras de um aliado, Alckmin quer ser um “ponto de equilíbrio” entre dois polos “radicais” que lideram as pesquisas de intenção de voto. No último levantamento do Datafolha, Lula (35%) e Bolsonaro (17%) acumulavam o apoio de metade do eleitorado, enquanto o governador aparecia com 8%. As informações são da Folha de São Paulo.