.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

PARELHAS: "Plenária lança pré-candidatura de Francisco Medeiros neste sábado no Recanto Verde"


SANTANA DO SERIDÓ: "Ex secretário pede desligamento do MDB"

O Ex – Secretario de Assistência Social de Santana do Seridó, Rafael Fágne pediu desligamento do quadro de membro do diretório do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) e desfiliação do partido.

Rafael foi secretario de Assistência Social do Município na gestão do então Prefeito Adriano Gomes (MDB) cargo que deixou de ocupar um dia após o pleito eleitoral de 2016.

Indagado pelo Blog qual seria seu destino partidário politico, Rafael informou que neste momento não terá nenhum destino partidário, mais que pretende sim se filiar a uma nova sigla com foco nas eleições municipais de 2020.

Rafael disse que tem  objetivo de participar ativamente do pleito em 2020, mais que tudo deve e vai acontecer de forma natural e mais objetiva possível.

Rafael também foi secretario nas gestões do Ex - Prefeito Iranildo Pereira (PR).


TRISTEZA: "Estádio Laurentino Bezerra está tomado pelo mato"

O estádio de futebol Laurentino Bezerra aqui na cidade de Parelhas, está em uma situação muito triste.

Acostumado a receber grandes times com ABC, Campinense e o próprio Centenário que fez histórias naquele estádio, o Laurentino Bezerra hoje, está completamento tomado pelo mato. Dá dó só em olhar!

O Secretário de Esporte Messias Medeiros disse que o estádio está interditado pela justiça, por não existir telas de proteção ao redor e que não é competência da prefeitura a manutenção do mesmo.

"O Laurentino Bezerra não é responsabilidade da prefeitura e sim da LPD(Liga Parelhense de Desportos)." Disse Messias Medeiros

A verdade é quem visita hoje o matagal em que se tornou o histórico estado, tem a impressão de está em qualquer outro lugar, menos em um palco onde passou tantos talentos.

Triste, muto triste!





POLÍTICA: "Lídia Guedes é contraponto a Galeno Torquato para deputado estadual no Alto Oeste"

Mesmo não tendo estrutura financeira que possa fazer frente as forças políticas tradicionais, a jovem psicóloga Lídia Guedes, fez história no movimento estudantil, e se inseriu na política partidária revelando coragem, determinação e posições firmes, ingredientes que têm embalado seu discurso de fácil assimilação. É com estes, entre outros fatores, que assume a pré-candidatura a uma vaga na Assembleia Legislativa, pelo PC do B, tendo como suporte o Alto Oeste.
Ela já vem sendo vista por alguns analistas políticos, como um forte contraponto ao deputado Galeno Torquato (PSD), em razão do município de São Miguel ser uma das suas principais bases, justamente no seio de aliados do ex-prefeito, que contou com o seu apoio para se tornar deputado estadual nas eleições de 2014.
Lídia Guedes disputou o cargo de vice-prefeito de Encanto, nas últimas eleições municipais, usando as cores do Solidariedade. No entanto, saiu do partido, depois que a sigla negou legenda a empresária Patrícia Muller. Além de ter sido solidária a Patrícia, ela deixou de sentir-se encorajada a entrar na mesma luta. 

NINGUÉM ESTÁ ACIMA DA LEI, NEM MESMO OS JUÍZES: "Insultada por juiz em audiência, advogada tenta dar a volta por cima"

Ainda impactada pelo susto com a repercussão nacional de seu nome, a advogada Sabrina Veras, 26, quer continuar atuando na vara de família —apesar do episódio vivido em audiência no Ceará.
No último dia 21 de fevereiro, ela ligou o gravador de seu celular na 2ª Vara de Família de Fortaleza —segundo ela conta, ao perceber que o clima estava tenso.
No áudio, de nove minutos, divulgado pela seção da OAB no Ceará, o juiz Joaquim Solon Mota Junior chama Veras de desqualificada, imatura e ingênua e afirma que ela se “queimou com ele e com tantos quanto ele fale a história”.
Mota Junior questionava a advogada sobre a possibilidade de ela ter dito no fórum que ele e duas funcionárias do Judiciário foram os responsáveis indiretos pela morte de uma criança de um ano, por demora na análise de um processo de guarda.
“Como é que a OAB dá um título a uma pessoa que não está qualificada para exercer a profissão?”, afirmou o juiz Mota Junior, já com a audiência encerrada.
Veras nega ter feito as acusações ao juiz.
Em nota, a ACM (Associação Cearense de Magistrados) afirmou que a gravação é indevida por se tratar de um caso em segredo de Justiça. O magistrado alegou não poder dar entrevista devido à lei da magistratura, já que o processo está pendente de julgamento.
“Eu saí dali me sentindo humilhada e bastante constrangida. A atitude foi de diminuir meu trabalho, me diminuir. Ele me ameaçou ao dizer que estaria queimada.”
Veras, num primeiro momento, se assustou com a repercussão. Nos primeiros dias desligou o telefone ao receber diversos pedidos de entrevista, mas recebeu apoio de colegas.
Ela atua como advogada desde julho de 2017, é autônoma e tem parceria com advogados especializados em direito criminal que repassam a ela casos cíveis, como os de família.
É nessa área que pretende continuar. Passado o susto de sua história ter viralizado país afora, a advogada acredita que o fato pode não prejudicá-la na profissão. Ela continua recebendo novos casos normalmente.
A OAB fez um desagravo público a ela, no dia 22 de março, em Fortaleza. Alegando violação das prerrogativas, acionou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a corregedoria do Tribunal de Justiça pedindo punição ao juiz —há um processo aberto.
Para ela, o fato de ser iniciante pode ter pesado no episódio. “Outros colegas mais experientes dizem que não sabem como reagiriam naquela situação. Eu temi até receber voz de prisão por desacato. O que quero agora é só seguir trabalhando, não vou desistir da advocacia.”
Após a divulgação do áudio, Mota Junior se declarou suspeito para o processo, que foi repassado a outro magistrado. O TJ-CE informou que o caso está sendo analisado pela corregedoria.