.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

SEVERINO CAVALCANTE: "Se Cunha não renunciar os deputados deveriam cassar o mandato dele"

A Folha de S.Paulo – Leonardo Souza
Ex-presidente da Câmara que renunciou em 2005 acusado de receber propina do dono de um restaurante da Casa, Severino Cavalcanti, 84 anos, avalia que a instituição piorou muito desde sua saída. O motivo que causou a renuncia de Severino, foi uma mensalidade que ele recebia de R$ 5.000,00 por mês por “locação” do restaurante.
“Está muito ruim. Você só ouve piadas”, disse em entrevista à Folha por telefone. “Na minha gestão era porta aberta, todo mundo tinha entrada. Não tinha esse negócio de ‘eu sou o dono do mundo'”.
A referência é ao atual presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado de US$ 5 milhões em propina por um lobista que faz delação na Operação Lava Jato.
Vejam a entrevista:
Folha – Como o sr. avalia o trabalho da Câmara neste ano?
Severino – Está havendo um certo tumulto. A coisa tem que ser fiscalizada. Quem deve tem que pagar.
O que o sr. acha da atuação de Eduardo Cunha como presidente da Câmara?
Eu achava que ele, no início, estava tentando realmente acertar. Mas agora está tomando umas posições um pouco confusas. Se ele participou, digamos, de alguma coisa danosa, ele tem que pagar também. Não é porque ele é presidente que não vai pagar.
Um delator na Lava Jato afirmou que Cunha lhe exigiu US$ 5 milhões.
Ele tem de provar que realmente não participou disso.
E ele tem condição de continuar a presidir a Câmara?
Se for comprovado que ele recebeu esse dinheiro, não tem condição.
Oferecida a denúncia pelo Ministério Público, ele deveria renunciar?
Se não renunciar, [os demais deputados] deveriam cassar o mandato dele. Se for provado [o recebimento de propina].
O sr. mantém atividades políticas?
Estou com 84 anos. Houve uma denúncia falsa contra mim, de um camarada que queria de qualquer maneira ficar no restaurante [da Câmara dos Deputados]. Está provado que ele é incorreto.
Que imagem a Câmara dos Deputados passa para o Brasil atualmente?
A Câmara tem que mostrar à nação que não compactua com bandalheira.
Piorou a imagem da Câmara?
Ah, está muito ruim; você só ouve piadas.
Comparada com o período em que o sr. presidiu a Casa?
Piorou muito. Na minha gestão, era porta aberta, todo mundo tinha entrada. Não tinha esse negócio de “eu sou o dono do mundo”, não.





BRASIL: "Dilma veta aumento para o judiciário"

A presidente Dilma Rousseff vetou o projeto de lei que dá reajuste de até 78,6% aos servidores do Judiciário até 2017, informou o Diário Oficial da União nesta quarta-feira (22).
Dilma e a equipe econômica do governo já vinham sinalizando que a medida seria vetada pela presidente devido ao impacto no esforço de ajuste fiscal promovido pelo governo.
Aprovado pelo Congresso no mês passado, o reajuste teria impacto de R$ 25,7 bilhões nos próximos quatro anos, passando depois disso para impacto de R$ 10 bilhões ao ano, de acordo com estimativas do Ministério do Planejamento.
"Um impacto dessa magnitude é contrário aos esforços necessários para o equilíbrio fiscal na gestão de recursos públicos", informou a presidente em despacho publicado no Diário Oficial.
O governo fez uma contraproposta aos servidores do Judiciário de um reajuste da ordem de 21% escalonados por quatro anos a partir de 2016.
(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

HENRIQUE ALVES POR UM FIO...

Henrique Alves está uma pilha desde a semana passada, quando Eduardo Cunha explodiu. Não à toa. A nomeação de Alves para o Turismo foi obra e graça de Cunha. Além disso, quando Alves presidiu a Câmara, Cunha era o seu aliado mais próximo.

Por Lauro Jardim

Senadora Fátima participa da entrega de 350 imóveis do Minha Casa, Minha Vida

“Hoje é um momento de muita emoção para as famílias que irão receber a sua casinha própria. Há mais de três décadas que o Brasil carecia de programa habitacional. Foi no governo Lula que iniciamos políticas públicas que resultaram na criação de um programa tão audacioso e inclusivo como é o Minha Casa, Minha Vida, lançado pela presidenta Dilma em 2009. O dia é de festejar a cidadania que hoje se fez presente em Monte Alegre”, discursou Fátima durante solenidade realizada nesta terça-feira (21), de entrega dos 350 imóveis do Residencial Novo Monte (investimento de R$ 21,3 milhões), que vai atender cerca de 1.400 pessoas.
 
O superintendente da Caixa Econômica Federal no Rio Grande do Norte, Roberto Sérgio Linhares, ressaltou os números positivos do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que só no RN atingiu a marca de 75 mil moradias, beneficiando mais de 300 mil pessoas.