.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

PARELHAS: "Francisco Medeiros é escolhido como pré-candidato do Seridó pela tendência da Senadora Fátima Bezerra"


A tendência da Senadora Fátima Bezerra, "AVANTE", esteve reunida ontem(12) na cidade de Caicó, para discutir a conjuntura política visando as eleições de 2018.

A direção da tendência, deixou muito claro a importância da pré-candidatura do ex-prefeito Francisco a Deputado Estadual no próximo pleito.
"Francisco é nosso pré-candidato do Seridó, o PT da "AVANTE", está unido em torno de seu nome, pelo excelente trabalho que desempenhou na cidade de Parelhas como vereador e como prefeito"
Disse Raimundo, assessor da Senadora Fátima Bezerra.

No encontro, além de Parelhas, estavam representantes das cidades de Carnaúba dos Dantas, Ouro Branco, São José do Seridó, Ipueira, Serra Negra do Norte, Jardim do Seridó, Caicó e Currais Novos.
Ao discursar, Francisco foi ovacionado várias vezes pelos presentes.

O prefeito de Currais Novos Odon Jr. disse que Francisco é um nome forte pela honestidade e competência demostrada não só em Parelhas, mas em todo o Rio Grande do Norte.


JOSIAS DE SOUZA: “Depois de morder Eduardo Cunha, o Supremo Tribunal Federal soprou Aécio Neves"

O jornalista Josias de Souza afirma que o Supremo Tribunal Federal virou “ex-Supremo” depois de decidir nesta quarta-feira 11 que o Congresso tem a palavra final ao decidir sobre medidas cautelares contra parlamentares.
“Depois de morder Eduardo Cunha, o Supremo Tribunal Federal soprou Aécio Neves. Há um ano e meio, em decisão unânime, a Suprema Corte suspendera o mandato de Eduardo Cunha, empurrando-o para a cassação e para a cadeia”, lembra ele, em seu blog no UOL.
“Agora, o mesmo Supremo decidiu que cabe à Câmara e ao Senado a decisão final sobre punições cautelares a parlamentares”, compara.
“Com isso, Aécio Neves terá de volta o mandato e a liberdade noturna. O aceno à impunidade exigiu um salto mortal jurídico. Alguns ministros ficaram quase irreconhecíveis”, destaca Josias, trazendo cenas dos dois julgamentos.

FIQUE LIGADO: "Horário de verão 2017 começa neste domingo(15)"

O horário de verão de 2017 começa na primeira hora do próximo domingo (15). À meia-noite de sábado, os moradores de 10 estados e do Distrito Federal devem adiantar o relógio em uma hora. 

O ajuste vale para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal) e vigora até 18 de fevereiro do ano que vem.


POLÍTICA: "PSDB de Ezequiel Ferreira adota tom de oposição ao governo Robinson"

Nas inserções do PSDB que estão sendo veiculadas na TV, o tom começa a ser de oposição ao Governo Robinson.
Críticas à Segurança e uma mensagem de mudança de gestão são o foco.
É aguardar os próximos capítulos.

EFEITO TEMER: "País corre risco de não ter Fies em 2018"

Após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ter ameaçado não pôr mais em votação as medidas provisórias do governo Michel Temer, o relator da MP 785 – da reforma do Fies -, Alex Canziani (PTB-PR), defendeu ontem, 11, a urgência e a relevância de se aprovar as mudanças propostas no programa de financiamento estudantil.
“Acredito que o presidente Rodrigo Maia fez uma crítica às MPs que não são urgentes ou relevantes. Mas, se não aprovarmos a MP do Fies, não vai ter o programa em 2018”, alertou o relator. “Maia sabe da importância do Fies para o País”, acrescentou, em entrevista ao Estadão/Broadcast.
Se for necessário, Canziani vai procurar pessoalmente Maia para pedir que o presidente da Casa paute a MP. “Trata-se de uma medida muito importante não apenas para o Ministério da Educação – do ministro Mendonça Filho, que é do partido de Maia -, mas para todo o ensino superior do País.”

PAGANDO O PATO: " Fiesp lutará contra aumento de PIS/Confins"

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, distribuiu nota à imprensa nesta quinta-feira para avisar o governo federal que não concordará com eventual aumento de tributos e que o setor lutará contra isso. “O pato vai para a rua”, diz a nota em referência ao pato inflável amarelo que a Fiesp usou no movimento pelo impeachment de Dilma Rousseff e, desde então, tem adotado como mascote para ilustrar protestos contra aumento da carga tributária.
“A imprensa vem noticiando que o governo pretende aumentar, por medida provisória, as alíquotas do PIS/Cofins para compensar perdas de arrecadação decorrentes da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que excluiu o ICMS da base de cálculo desses tributos”, cita a nota. “Não há como concordar com isso”, afirma Skaf no documento.
Para ele, a reação do governo, “num raríssimo caso em que a Justiça impede a inconstitucionalidade”, deveria ser o ressarcimento imediato ao contribuinte, com correção monetária e um convincente pedido de desculpas. No entanto, destaca a Fiesp, o Ministério da Fazenda faz exatamente o contrário: estuda uma forma de aumentar as alíquotas para continuar “esfolando o contribuinte”. As informações são da Agência Estado.