.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Especialistas dão como certa vitória de Francisco do PT prá deputado estadual



Com a ajuda de um especialista em coligações proporcionais o Blog do Barreto, seguindo as regras da Lei Eleitoral, mostra quem seriam os deputados estaduais eleitos pelas coligações proporcionais.
O quadro acima mostra quem seriam os 24 deputados estaduais eleitos conforme as intenções de votos válidas (excluindo brancos, nulos, nenhum e não sabe) dentro do contexto da pesquisa.
Foi levada em consideração o universo de votos válidos nas eleições de 2014 bem como a projeção de votos de legenda com base no pleito anterior.
É preciso considerar também que as pesquisas proporcionais possuem margem de erro superior as pesquisas majoritárias.
O levantamento vale para dar uma noção de como seria o quadro com base na pesquisa Consult divulgada pelo Blog do BG.
O Instituto Consult ouviu 1.700 pessoas (120 em Mossoró) entre os dias 26 e 29 de setembro. A margem de erro é 2,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. Os números estão registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os protocolos RN-06487/2018 e BR-05180/2018.

Pesquisa aponta vitória de Fátima Bezerra no primeiro turno

A pesquisa do instituto Seta também quis saber da população as intenções de voto para o Governo do Estado de forma estimulada, ou seja, apresentando os nomes dos candidatos. Nesse quesito, Fátima Bezerra lidera com 32%.
Seguem: Carlos Eduardo Alves com 16%; Robinson Faria, 11%; e Brenno Queiroga, 2%. Os demais candidatos somaram, juntos, 3%. O total de brancos e nulos foi de 28% e o de indecisos de 8%.
Sobre a pesquisa
A pesquisa do instituto Seta encomendada pelo Blog do BG foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-03095/2018, BR-03943/2018. As entrevistas foram realizadas entre os dias 29 de setembro e 1 de outubro com 1700 eleitores. O intervalo de confiança é de 95% com margem de erro de 2,4% para mais ou para menos.

Corregedoria do CNJ dá 15 dias para Moro explicar divulgação de delação de Palocci


O corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Humberto Martins, determinou nesta quinta-feira (4) que o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná, apresente em quinze dias explicações sobre a divulgação da delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci.

A decisão foi tomada a partir de representação apresentada ao CNJ pelos deputados federais do PT Paulo Pimental (RS), Wadih Damous (RS) e Paulo Teixeira (SP), que pediram que o juiz seja punido.
Após Moro enviar as informações, o ministro Humberto Martins vai decidir sobre o pedido de liminar de afastamento do juiz. O caso corre em sigilo no CNJ.
De acordo com o deputados, a decisão que autorizou a divulgação da delação, na última segunda (1º), é política e tem o objetivo de prejudicar campanhas do Partido dos Trabalhadores.

“O depoimento prestado pelo ex-ministro, conquanto seja de interesse público, não deveria ter o seu sigilo liberado e disponibilizado pela imprensa nesse momento de elevada temperatura política, senão com o deliberado propósito de interferir ilicitamente na disputa que se aproxima e onde o Partido dos Trabalhadores, democraticamente, esponta como um dos preferidos da sociedade brasileira”, diz a representação.
Para os deputados petistas, o juiz está “interferindo ilegitimamente na regularidade das eleições”.

Eles pedem abertura de um procedimento administrativo disciplinar e a punição compatível – no CNJ, a punição pode ser censura, pena mais branda, até aposentadoria compulsória, a punição máxima. A abertura do procedimento só será decidida pelo corregedor após Moro prestar informações.
Segundo a representação, o país “se encontra totalmente voltado para um disputado processo eleitoral”. Afirmam os parlamentares que, recentemente, promotores e procuradores “tentaram desestabilizar determinadas candidaturas e interferir na regularidade do processo eleitoral”, o que levou a Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público a apurar a atuação deles. Conforme o pedido, “o juiz federal ora representado vem trilhando esse mesmo caminho”.

“A postura do Representado é extremamente grave, colocando em dúvida, como dito, sua imparcialidade, na medida em que se utiliza da posição que conseguiu auferir na sociedade, para interferir de maneira indevida no processo eleitoral, sempre com o viés de prejudicar o Partido dos Trabalhadores e suas candidaturas”, completa a representação.

G1



BG




Vice de Bolsonaro volta a criticar o 13º salário

O general Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa do candidato Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência, criticou novamente o 13º salário nesta terça-feira (2), no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

Mourão justificou sua primeira crítica, em palestra no Rio Grande do Sul, na semana passada, quando chamou o benefício de "jabuticaba brasileira". Disse que sua afirmação era sobre a necessidade de planejar, de entender que se trata de um custo.

"Na realidade, se você for olhar, seu empregador te paga 1/12 a menos [por mês]. No final do ano, ele te devolve esse salário. E o governo, o que faz? Aumenta o imposto para pagar o meu. No final das contas, todos saímos prejudicados", afirmou o vice, conforme informação da Folha.

Mourão também falou sobre a reprimenda que Bolsonaro fez à sua declaração. O capitão reformado pediu que seu vice ficasse quieto, pois estava atrapalhando. O general minimizou, disse que é a maneira dele de se expressar.

Para o general, o 13º salário é um dos "custos" que o país precisa diminuir para ter competitividade internacionalmente. E a única possibilidade de mexer com isso, disse Mourão, seria por meio de um acordo nacional para aumentar os salários.




IBOPE: "No segundo turno Bolsonaro só ganha de Marina"


Simulações de segundo turno
  • Haddad 43% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 12%; não sabe: 3%)
  • Ciro 46% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 13%; não sabe: 3%)
  • Alckmin 41% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 16%; não sabe: 3%)
  • Bolsonaro 43% x 39% Marina (branco/nulo: 16%; não sabe: 2%)
Sobre a pesquisa
  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 3.010 eleitores
  • Quando a pesquisa foi feita: 1º e 2 de outubro
  • Registro no TSE: BR-08245/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”


Em nova pesquisa IBOPE Fernando Haddad cresce 2 pontos e diminui a diferença

A quatro dias do primeiro turno, o Ibope divulgou sua oitava rodada de pesquisa para a corrida presidencial. 
Confira, abaixo, a simulação para o primeiro turno:
Jair Bolsonaro (PSL): 32%
Fernando Haddad (PT): 23%
Ciro Gomes (PDT): 10%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
Marina Silva (Rede): 4%
O Ibope entrevistou 3.010 eleitores entre os dias 1 e 2 de outubro. O nível de confiança é de 95%. O levantamento foi encomendado pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo. A pesquisa está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-08245/2018.