.

terça-feira, 24 de maio de 2016

PARELHAS: "E os "amuados" vão entrando no jogo"...

Depois do lançamento das chapas, que possivelmente vão polarizar a disputa no mês de outubro, começaram a aparecer os "amuados", com toda sorte de desculpas bem esfarrapadas.
Mas como diria a velha raposa do Seridó, o Deputado Estadual Vivaldo Costa: "A política é como uma caminhão de feirantes, depois do primeiro tombo, tudo se ajeita". E não é que se ajeita mesmo!
Veja o caso do ex vereador Humberto Gondin, que foi "escanteado" da chapa majoritária, com a desculpa de que o mesmo era muito rejeitado, e que teria ficado bastante chateado, hoje anda de braços dados, com o pré-candidato a prefeito Dr. Tiago Almeida prá cima e prá baixo.
Por outro lado, aliados muito próximos do pré-candidato pela situação, Alexandre Petronilo, acharam a indicação da professora Nazilda Tavares como vice, o fim do mundo, mas no entanto, agora, defendem a mesma como a companheira de chapa ideal.
E assim é o mundo, ou sub-mundo da política, onde os opostos se atraem, somando forças para o pleito que se aproxima.
E que comecem o jogo, e que vença o melhor, nesse caso, não necessariamente o melhor, mas o que tiver mais votos!

ALERTA: "Outubro pode ter surto de microcefalia em duas regiões do país"

Depois do surto de crianças com microcefalia no Nordeste, com 1.233 casos já confirmados, especialistas indicam que pode haver uma nova onda de bebês com malformações nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do país. Segundo Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses, em maio tivemos mais pessoas infectadas com zika nessas regiões, e os nascimentos devem acontecer em outubro.
A situação se agrava ainda mais, segundo ele, pelo fato de o Ministério da Saúde ter trocado sua cúpula no novo governo do presidente interino, Michel Temer. O coordenador do Programa Nacional de Controle de Dengue, Giovanini Coelho, e o diretor de Doenças Transmissíveis do ministério, Cláudio Maierovitch, deixaram seus postos sem que haja substitutos em vista, o que preocupa os médicos. “A equipe do Ministério da Saúde, que era muito competente, mesmo com todas as críticas que podemos fazer a eles, que lidava com essa epidemia foi desmontada. Estamos sem condução.”

DELCÍDIO AMARAL: "Perto da gravação de Jucá, a minha é uma Disney’, diz Delcídio"

O último ato que levou à cassação do ex-senador Delcídio Amaral veio de Romero Jucá, o ministro do Planejamento que foi oficialmente exonerado nesta terça-feira, 24. Acusado de tentar obstruir as investigações da Lava Jato, Delcídio teve sua cassação acelerada após uma cartada de Jucá, que apresentou um requerimento de urgência para a realização da votação. Agora, é o ministro quem foi flagrado em uma gravação tentando travar as mesmas investigações.
“Depois da gravação do Mercadante, Lula e Dilma e essa agora do Jucá, com todo respeito, a minha conversa é uma Disney, uma grande brincadeira”, afirmou Delcídio, em referência aos recentes grampos que tornaram públicas supostas tentativas de impedir o funcionamento da Justiça.
O ministro Mercadante foi flagrado pelo próprio assessor de Delcídio, enquanto supostamente oferecia vantagens para comprar o silêncio do senador. Dilma e Lula foram grampeados em diálogo rápido que sugere que a nomeação do ex-presidente à Casa Civil era uma manobra. Jucá sugere para Sérgio Machado uma mudança no governo para “estancar” a Lava Jato. Já Delcídio foi pego tramando um plano de fuga para o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró.

JOAQUIM BARBOSA: "‘Bem, eu avisei’, diz Joaquim Barbosa após saída de Jucá"

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa usou sua conta oficial no Twitter para repercutir o escândalo que levou à saída de Romero Jucá (PMDB) do Ministério do Planejamento. “Bem, eu avisei”, disse o ex-ministro, que já se manifestou várias vezes contra a forma como foi conduzida o processo de impeachment e chegou a afirmar que Michel Temer não teria legitimidade para governar o País.
A manifestação ocorre após Jucá, que é investigado na Lava Jato, ser flagrado em uma conversa com outro investigado, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, discutindo como “estancar” a operação com a chegada de Temer ao poder antes mesmo de o impeachment ser votado. Com o escândalo, o peemedebista foi o primeiro ministro do governo interino a cair, apenas 12 dias após Dilma ser afastada.

PARELHAS: "Aliança do PMDB, com o prefeito Francisco e com o PT, continua firme"

A pré candidatura de Alexandre Dantas, em Parelhas, à prefeito do município, faz-se com a coligação PT-PMDB que vem há bastante tempo, conquistando várias vitórias.
O prefeito Francisco do PT, eleito duas vezes com o apoio de doutor Antônio Petronilo, agora retribui o gesto apoiando Alexandre Dantas do PMDB.
As duas legendas se entendem no município e deverão continuar aliados para tentar mais uma vez, manter os avanços conquistados nos últimos anos  em Parelhas. 

FATALIDADE: "Bebê morre depois de mãe dormir após amamentar-lo"

Um bebê morreu na madrugada desta segunda-feira (23), na cidade de Sumé, no Cariri paraibano. A causa da morte ainda está sendo investigada, mas segundo o delegado Dr. Rodrigo Monteiro, acriança morreu após ser amamentada pela mãe, que adormeceu com ela no sofá e só percebeu a fatalidade certo tempo depois.

De acordo com informações, a criança tinha dois meses e foi percebida sem vida pelo pai, que ao chegar na sala viu a mãe e o bebê, um do lado do outro e acordou a mulher para colocar o garotinho no quarto. Ao levar o menino, o pai percebeu que ele não esboçava reação e atentou para que ele tivesse falecido.

Muito aflitos, os pais levaram a criança para o hospital, mas o médico detectou sua morte.
O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Campina Grande - PB e a polícia investiga se a criança morreu por asfixia ou outra causa.

O boletim de ocorrência foi registrado como acidente doméstico.

CORJA: "Substituto de Jucá no Planejamento também é investigado"

Rei morto, rei posto. Ao anunciar na tarde desta segunda-feira que estava saindo de licença do Ministério do Planejamento, o senador Romero Jucá, investigado pela Operação Zelotes, anunciou seu substituto: Dyogo Oliveira, que aliás era secretário executivo do ministro anterior, Nelson Barbosa. Quando houve a troca – Barbosa foi para a Fazenda – Dyogo foi junto, na mesma função, e voltou à secretaria-executiva com a chegada de Jucá no governo do presidente em exercício Michel Temer.
Só que para fins de operação da PF, nada muda: Dyogo também está implicado, na Operação Zelotes, que investiga a compra e venda de medidas provisórias durante os governos de Lula e Dilma Rousseff. O processo corre no Supremo Tribunal Federal sob sigilo. O Ministério Público pediu quebra de sigilo bancário de Dyogo de 2010 a 2015.

MAIS UM: "Temer nomeia mais um advogado de Eduardo Cunha no governo"

Mais um defensor que trabalhou com Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Câmara dos Deputados ganha cargo estratégico no governo. Marcelo Ribeiro do Val foi nomeado na quarta (18) assessor do gabinete do novo chefe da AGU (Advocacia-Geral da União), Fábio Medina Osório.
Ribeiro respondia pelo Escritório Avançado da AGU na Câmara dos Deputados. Nesta condição, assinou peças de defesa de Cunha, algumas inclusive com críticas ao STF (Supremo Tribunal Federal).
Em um dos textos, Ribeiro do Val aponta “interferência indevida” do STF em questões internas da Câmara
O chefe da AGU, Fábio Osório, já fez críticas a seu antecessor, José Eduardo Cardozo, por ter defendido Dilma no impeachment, acusando-o de “bradar contra os demais poderes” da República. O caso de Ribeiro do Val, no entanto, seria diferente, diz ele.

HILÁRIO: "Pelados em Brasília"

Depois das conversas gravadas de Delcídio Amaral e Romero Jucá, ninguém tem mais confiança de conversar com medo das gravações.
Mas, como os entendimentos e conversas tem que continuarem, o jeito é conversar sem roupas, ou seja, pelados.
Imagine uma conversa de Sarney com Lula e Garibaldi?

DEPOIS DO GOLPE A QUEDA: "Líderes do impeachment caem pouco após Dilma"

Michel Temer soube domingo (22) à noite que Sérgio Machado, um antigo personagem da política brasileira, havia grampeado uma conversa com seu ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR). Junto com as especulações sobre o conteúdo do áudio, ouviu um veredito: seria impossível manter o aliado no cargo.
Reportagem publicada pela Folha nesta segunda-feira (23) com as falas do diálogoconfirmou a previsão dos aliados de Temer.
Considerada inevitável, a queda de Jucá marca o naufrágio dos dois maiores artífices do impeachment de Dilma Rousseff, 36 dias depois de o primeiro algoz da petista, Eduardo Cunha (PMDB-RR), ter obtido a aprovação do pedido na Câmara.
Se Cunha deu início ao calvário de Dilma, aceitando a tramitação do pedido de afastamento, Jucá trabalhou para materializar em votos no plenário a insatisfação da classe política com a petista.
Habilidoso, comandou o rompimento do PMDB com o PT, assumiu a presidência do partido e atuou fortemente para trazer o PSDB, o PP e o PR para o lado de Temer.
O resultado desse trabalho conjunto é conhecido. Cunha sequer pôde participar da posse de Temer. Foi afastado do cargo e do mandato uma semana antes pelo STF (Supremo Tribunal Federal).
Jucá, por sua vez, não só foi à cerimônia como ganhou nela o título de ministro e homem forte do governo. Permaneceu 12 dias no poder