.

sábado, 24 de janeiro de 2015

POLÍTICA: "O RN não é mais Sustent' ALVES"

Se, em 2013, alguém me dissesse que o PMDB estaria, dois anos depois, num processo de “apequenamento” tão grande quanto este, tendo que aderir ao governo de Carlos Eduardo e abrir mão da candidatura própria a Prefeitura de Natal, eu não acreditaria. O Diretório Estadual tinha o presidente da Câmara Federal, terceiro homem da República; o ministro da Previdência Social; cinco deputados estaduais; três vereadores em Natal; mais de uma centena de prefeitos no Rio Grande do Norte e havia saído, fortalecido, de uma disputa aparentemente fácil (para Carlos Eduardo) pela Prefeitura de Natal. 
Para 2015, tudo mudou. Derrotado na disputa pelo Governo do Estado, fora da gestão federal e sem a Federação dos Municípios (presidida há anos pelo braço direito dele, Benes Leocádio), Henrique Alves se viu sem espaço para acomodar os seus e passou ocupar os gabinetes de Walter Alves e Garibaldi Filho.
Garibaldi, por sua vez, aceitou abrir mão de disputar a Presidência do Senado na tentativa de ganhar apoio do PMDB na indicação de Henrique para o Ministério do Turismo, diminuindo a “sofrência” do ex-candidato a governador do Estado.
E o pior é que o cenário que se desenha para o PMDB no RN não é dos melhores. Sem disputar a Prefeitura de Natal para apoiar o PDT, a sigla poderá chegar ainda mais fraca para a disputa pelo Governo do Estado em 2018. E talvez não dispute, sendo engolida, talvez, por um Carlos Eduardo forte pela reeleição em 2016, forçando um arranjo para colocar Henrique como deputado federal e Walter voltando a Assembleia ou na condição de vice do primo segundo. Se Carlos Eduardo perder em 2016, a situação fica ainda pior.
Diante disso, o clima do PMDB é de incerteza. O futuro é incerto. E, quem diria, a família Alves poderia ter hoje o governador do Estado, aliado ao prefeito de Natal, a presidência da Femurn, um deputado federal, cinco estaduais e um senador candidato a presidência do Senado.
Texto: Túlio Lemos. Título nosso.

ROBINSON FARIA: "Sou Governador de todos, mas só governa comigo quem votou em mim"

O Governador eleito Robinson Faria, disse com todas as letras, que só vai fazer parte do Governo quem acreditou em seu projeto político.
"Fui eleito para ser Governador de todos e serei, mas minha equipe será formada por quem acreditou em meu sonho e votou em mim."


Do Blog: Tá certíssimo, é assim que se faz.

PARELHAS: "Quem eu quero, não me quer e quem me quer, eu mando embora"

Um leitor deste estimado Blog, chama a atenção para um fato até então despercebido, no que diz respeito aos bastidores da política parelhense.
Em comentário postado neste espaço o leitor que não quis se indentificar usa o título de "Quem eu quero não me quer e quem me quer eu mando embora", e continua...
"Sabe aquela história de que a gente só quer quem não quer a gente? Pois é, o mesmo acontece aqui em Parelhas.
Mesmo com todas as tentativas e mais tentativas por parte do prefeito para conseguir ter uma conversa, um contato, por pequeno que fosse, com o ex-prefeito Antônio Petronilo e diga-se de passagem, sem sucesso. 
Enquanto isso, fontes seguras garantem que o mesmo não acontecia com o médico e postulante a candidato a prefeito em 2016 Dr. Tiago, que foi procurado várias vezes pelo ex-prefeito, para que o mesmo "mudasse de lado" e viesse fazer parte das filheiras dos bacuraus".
E continua o leitor: Só para que todos entendam. Enquando o atual prefeito procurava conversar com o ex-prefeito, o ex-prefeito procurava estreitar laços com outro grupo.

Do Blog: Eita que os leitores estão atento aos últimos acontecimentos e não perdem um só detalhe. Obrigado pelo acesso e pela matéria. Valeu!