.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

BLOG INFORMA: "Restaurante Recanto Verde aberto normalmente amanhã(20) para almoço, com música ao vivo. Entrada franca!"


OPORTUNIDADE: "Chegou á Parelhas o Projeto Mais Emprego"

Segundo especialistas, em um momento caracterizado por demissões, a sobra de vagas em todo pais, é decorrente da falta de qualificação profissional
Esse ainda é um dos principais entraves tanto para os que procuram um emprego, quanto para os que contratam. 
Pensando nisso, o Projeto Mais Emprego oferece a você oportunidades em cursos, que lhes permitirão ser um profissional e ganhar um salário inicial entre R$ 2.000(dois mil) e R$ 5.000(cinco mil) reais.

Cursos oferecidos:

*Retroescavadeira

*Pá Carregadeira
*PC e Patrol

Vagas limitadas. Corra e garanta já a sua!


Maiores informações no Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Celular: 84 9 9151-5227

                ou
WhatsApp:  84 9-9667-0703

BRASIL: "TV Record demite apresentador que chamou Ludmilla de “macaca”

A TV Record decidiu demitir o apresentador Marcão do Povo, que comandava o programa Balanço Geral DF, da TV Record Brasília. Na edição do último dia 9, ele se referiu à cantora Ludmilla como “macaca”.
“É uma coisa que não dá para entender. Era pobre e macaca. Pobre, mas pobre mesmo”, disse o apresentador, também conhecido como Marcão Chumbo Grosso, enquanto comentava uma notícia sobre Ludmilla ter evitado fotos com fãs. “Eu sempre falo… eu era pobre e macaco também”, continuou, tentando consertar a ofensa.
O caso ganhou repercussão nesta terça-feira 17. Por meio de sua página no Facebook, Ludmilla afirmou que “trata-se um desrespeito absurdo e vergonhoso”.
“Infelizmente, ainda existem pessoas que não compreendem que a discriminação racial é crime e alguns ainda usam o espaço na mídia para noticiar mentiras a meu respeito, ofender, menosprezar e propagar todo o seu ódio. Não deixaremos impune tais atos, trata se de um desrespeito absurdo, vergonhoso”, escreveu.

O SEGREDO ESTÁ NOS DETALHES

FESTA DE SÃO SEBASTIÃO: "Banda Feras e Nara Castro abrilhantam a noite de hoje(19) no Palco da Praça"


BRASIL DE CABOCLO DE MÃE PRETA E PAI JOÃO: "Escoltados pela PF, vereadores tomam posse e voltam para a cadeia"

Cinco vereadores de Foz do Iguaçu (PR) reeleitos no ano passado saíram da cadeia, onde estavam presos por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção, foram até a Câmara escoltados pela Polícia Federal (PF), tomaram posse com os policiais ao fundo e voltaram para a prisão.

A posse, ocorrida ontem quarta-feira, foi feita por determinação da juíza Juliana Arantes Zanin Vieira, da Vara de Execuções Penais e Corregedoria dos Presídios de Foz do Iguaçu, e ocorreu sob forte tumulto. Em um vídeo gravado no momento da posse, é possível ouvir manifestantes vaiando os vereadores enquanto faziam o juramento. Dezenas de pessoas ocuparam a galeria da Câmara com cartazes contra a iniciativa aos gritos de “vergonha” e de pedidos de renúncia dos parlamentares.

Os vereadores – Anice Gazzaoui (PTN), Darci Siqueira (PTN), Rudinei de Moura (PEN), Edilio Dall’Agnol (PSC) e Luiz Queiroga (DEM) – estão presos desde do dia 15 de dezembro do ano passado quando a PF deflagrou a 5ª fase da Operação Pecúlio, que investigava parlamentares suspeitos de terem recebido propina para aprovar projetos de interesse da prefeitura e de terem participação em fraudes de licitações para a área da saúde. Os parlamentares fizeram o juramento, assinaram o livro de posse e saíram escoltados.

Na 5ª fase da operação, batizada de Nipoti, doze dos quinze vereadores da cidade foram presos por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção. A 6ª fase da operação, deflagrada no dia seguinte às prisões, conduziu coercitivamente dois dos três vereadores que permaneceram na Câmara para prestarem esclarecimentos à PF, mas foram liberados no mesmo dia.

Operação Pecúlio

A 1ª fase da Operação Pecúlio foi deflagrada em abril de 2016 com o objetivo de desarticular um esquema de corrupção em contratos para realização de obras junto à prefeitura com recursos públicos federais. O então prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB), também foi preso, junto com empresários, secretários e servidores municipais na 4ª fase da operação.
Atualmente, Pereira cumpre prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Com o fim do mandato, o ex-prefeito de Foz do Iguaçu perdeu o foro privilegiado e será julgado pela 3ª Vara Criminal Federal. O processo, enquanto Pereira ocupava o cargo, estava com o Tribunal Regional Eleitoral da 4ª região (TRE-4).

Jean Souza
RESTAURANTE



BRASIL: "Temer quebra promessa e reduz saque do FGTS"

Menos de um mês após liberar o saque de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), Michel Temer já se prepara para voltar atrás. Na ocasião, Temer afirmou que a medida liberaria R$ 30 bilhões do fundo. O dinheiro ajudaria os trabalhadores a quitar dívidas e ainda auxiliaria a retomada da economia.
Agora, o Planalto estuda criar um mecanismo para restringir o número de trabalhadores que poderão sacar do FGTS. Para blindar Temer do desgaste causado pelo recuo, aliados ensaiam o discurso de que, se a restrição vier, incidirá sobre um número pequeno de pessoas, preservando trabalhadores endividados e de baixa renda que são o alvo principal da medida. Medida, no entanto, é aceno também para as construtoras e incorporadoras imobiliárias.
O dinheiro do FGTS é usado para financiar a construção de imóveis e projetos de saneamento básico.


ROBINSON FARIA: "Nosso governo não negocia com bandidos"


O governador Robinson Faria (PSD) utilizou as redes sociais para enviar um vídeo com uma mensagem para a população no final da noite dessa quarta-feira (18), após uma nova série de ataques criminosos promovidos por uma facção criminosa.
Em um vídeo divulgado pelo governo, o chefe do Executivo disse que o governo não pretende negociar com criminoso e por isso, os bandidos decidiram realizar os atentados em diversos pontos da capital e do interior do Estado. “Essa crise, talvez a pior crise da história da segurança pública do nosso Estado. Motivada por essa briga de facções criminosas em todo o país, que infelizmente chegou até nós. Nosso governo não recuou. Por não ter negociado, por não ter se intimidado, eles querem agora levar o pânico à população”, disse.
O governador disse ainda que os ataques que intimidam o povo potiguar não serão tolerados. “Não vamos aceitar. Nosso governo não negocia com bandido, não recua. Confie no governador, confie na nossa polícia e juntos, com o apoio do povo, nós vamos vencer essas facções.
Robinson afirmou também que o Estado sempre será mais forte do que qualquer organização criminosa. “Jamais eles serão maiores do que o Estado. Vamos nos unir e vamos vencer mais este desafio”, concluiu.