.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

SANTANA DO SERIDÓ: "Câmara Municipal inicia hoje(07) o 2º período legislativo"

O Poder Legislativo Santanense, que tem a frente o Presidente Juarez Bezerra, inicia hoje(07), o segundo período legislativo de 2017.

As sessões terão início á partir das 17h e serão transmitidas através da Fanpage do Blog do Ivanildo Souza, Rádio Rural AM de Parelhas e do facebook da câmara.


ELEIÇÕES 2018: "Salomão Gurgel deve ser o nome do PSOL ao governo do estado"

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) está decidido a lançar candidato para o Governo do Estado em 2018. De acordo com o vereador Sandro Pimentel, integrante da legenda e pretenso candidato à Assembleia Legislativa, a sigla também vai lançar candidaturas para os outros cargos.
No caso do Executivo estadual, o nome que indicado internamente é o do médico Salomão Gurgel, prefeito de Janduís por três mandatos, ex-deputado federal e ex-secretário de Saúde de Natal. “Por enquanto, para governador, só o nome dele tem despontado até o momento. Na Assembleia, a expectativa é ter uma cadeira. Estamos montando chapa com representação de interior em quase trinta municípios, considerando o crescimento que tivemos em 2014”, especula Pimentel.
Salomão já pertenceu aos quadros do PT e para a imprensa já admitiu que seu nome está à disposição do PSOL, que deverá se aproximar de partidos que não tenham envolvimento com denúncias de corrupção que tomaram a pauta nacional. É este contexto, acredita, que deverá favorecer uma candidatura com sucesso no próximo ano.

RETALIAÇÃO: "PMDB avalia expulsar deputados que votaram a favor do povo"

Enquanto não decide se pune deputados que votaram a favor da denúncia contra o presidente Michel Temer, a Executiva do PMDB levou adiante pedidos de expulsão dos senadores Roberto Requião (PR) e Kátia Abreu (TO). Três requerimentos sobre o assunto foram encaminhados à Comissão de Ética da legenda, que ainda não emitiu parecer.
Um dos pedidos partiu da Secretaria Nacional da Juventude do PMDB, presidida por Assis Filho. No documento, ele diz que os dois senadores desrespeitaram o estatuto da sigla ao adotar “posições sempre contrárias às diretrizes partidárias”.
Questionado sobre a atuação de outros parlamentares que também contrariam posições do governo, como o senador Renan Calheiros (AL), Assis Filho afirmou que, a princípio, apenas Kátia Abreu e Requião foram alvo por serem mais “efervescentes”. “Kátia se juntou às senadoras do PT para protagonizar aquele vexame na Mesa do Senado e o Requião tem usado as redes sociais para atacar o PMDB e o governo”, disse.
Procurada, Kátia Abreu, que negocia ida para o PDT, afirmou não ser de “direita ou de esquerda”, e que tem sido “coerente”. Já Requião descartou deixar a legenda. “Se saio eu, vai sobrar quem? O Eduardo Cunha?”. O senador disse ainda não ter tomado conhecimento sobre o pedido contra ele.


VÍDEO: "Jornal Nacional exibe nova denúncia contra Henrique Alves"

REFORMA EM PAUTA: "Temer faz reunião com Maia e Eunício para discutir reforma da Previdência"

O presidente Michel Temer convocou uma reunião neste domingo, 6, no Palácio do Planalto. Um dos objetivos do encontro, que terminou pouco depois das 15h30, era discutir a tramitação da reforma da Previdência. Além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e do Governo, Antônio Imbassahy, também participaram do encontro.
Quatro dias após ter a denúncia por corrupção passiva contra ele barrada pelo plenário da Câmara, Temer quis sondar com quantos votos pode contar para aprovar a reforma da Previdência, depois de enterrar a denúncia contra ele por corrupção passiva na Câmara, já que houve traições entre os aliados. A denúncia contra o presidente, apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi rejeitada por 263 votos.
O peemedebista também debateu pontos da reforma tributária, especificamente uma simplificação do PIS/Cofins, e as próximas votações de medidas provisórias enviadas ao Congresso, como o Refis. As informações são de O Estado de São Paulo.