.

terça-feira, 16 de maio de 2017

BLOG INFORMA: "Dra Paula Medeiros está atendendo também na Clínica de Fraturas em Natal RN"


Além de atender todas as terças e quartas feiras aqui na cidade de Parelhas, a Dra Ana Paula Medeiros comunica que também está fazendo atendimentos com o método Top Line de Emagrecimento, na Clínica de Fraturas da Av. Antônio Basílio, 3117, Bairro Lagoa Nova em Natal RN.

Agende já a sua consulta!

NOVA ENQUETE: "Francisco x Tiago em quem você votaria para deputado?"

A nova enquete do Blog do Ivanildo Souza trás a seguinte pergunta:

"Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para Deputado? "

( ) Francisco Medeiros
( ) Tiago Almeida
( ) outros

A enquete se encontra do lado direito de sua tela.

Acesse , vote, participe, a sua opinião é muito importante!

CRISE: "Prefeitura com o cinto apertado no último furo"

O Blog do Robson Pires destaca a crise que permanece nas prefeituras do Brasil. Prefeitos estão apertando os cintos no "último buraco".
Em Parelhas não é diferente, de acordo com informações extra-oficiais, o prefeito Alexandre Petronilo está fazendo um esforço sobrenatural para manter o salário do funcionalismo em dia.
A cada mês é um martírio, a equipe conta moedas, para não deixar atrasar salários e manter o mínimo de funcionamento na máquina pública.
Prefeitos do Brasil inteiro estão sem saber o que fazer, a quem recorrer. A crise é intensa.



TRANSPARÊNCIA: "Acarí em primeiro lugar, Parelhas em oitavo"

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou o resultado da 3ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT). A metodologia avaliou o cumprimento da Lei de Acesso à Informação (LAI) em 26 estados, no Distrito Federal e em 2.328 municípios brasileiros. Dentre os estados, o Rio Grande do Norte ocupa a 11ª colocação com nota 9,72. Das cidades analisadas no RN, Acari foi a que obteve o melhor resultado com nota 9,02, seguida de Parnamirim (7,50), Jucurutu (6,66) e Natal (6,38). Parelhas ficou em 8º lugar no ranking, com a nota, 5,27.
A análise, realizada entre junho e dezembro de 2016, aponta significativa melhora no conjunto dos entes avaliados em relação a questões de transparência pública, como: regulamentação da LAI; existência de canal (presencial e eletrônico) para solicitações de informação pelos cidadãos; e recebimento das informações solicitadas.
Dentre as 27 capitais, Natal aparece na 22ª posição. Nenhuma cidade do Rio Grande obteve a nota máxima na Escala Brasil Transparente. Mossoró, a segunda maior cidade do Estado, teve nota 1,94. Somente duas cidades do RN obtiveram notas maiores que 7.
Parelhas ficou em 8º lugar no ranking.

HELOÍSA HELENA: "Classe política se organiza como um bando para aprovar as reformas"

Por ocasião da 2ª Conferência Estadual da Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte, a ex-senadora de Alagoas e ex-vereadora de Maceió, Heloisa Helena, esteve em Natal no último fim de semana para debater a conjuntura política, os próximos passos do partido no estado e definir as suas estratégias para as eleições de 2018. A reportagem do Agora Jornal conseguiu contato com a ex-parlamentar, que prontamente atendeu ao pedido e participou de um bate-papo sobre o momento político do país.
Questionada sobre como tem encarado o avanço das reformas trabalhista e previdenciária, que tramitam nas Casas Legislativas de Brasília tendo, inclusive, já sido aprovada na Câmara dos Deputados, Heloisa Helena utilizou de uma abordagem diferente da que vem sendo praticada pelos demais parlamentares de oposição e frisou: as reformas não representam nada mais do que o continuísmo entre as gestões federais.
“Sempre prefiro fazer uma análise estrutural do estado brasileiro. Se pararmos para pensar, tanto nos 8 anos de PSDB quanto nos 13 anos de PT/PMDB e, agora, neste 1 ano de Michel Temer, está muito claro que existem processos gravíssimos que estão diretamente relacionados ao crime de administração pública e exploração de prestígio. A reforma do aparelho de Estado, quando se dá, é unicamente para roubar direitos de trabalhadores e manter privilégio para poucos grupos, e não promover ação social”, declarou.
“Esse mecanismo foi utilizado na reforma previdenciária liderada por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em seu governo, que emendou o mesmo discurso intelectualmente desonesto de ‘déficit com a Previdência’. Porém, ele ainda passou 3 anos para conseguir aprovar a reforma porque nós trabalhadores resistimos bravamente. Isso demonstra importância da luta da classe trabalhadora em defesa de seus direitos”, completou.
Para Marina, o ideal que vem sendo utilizado na atual proposta de Michel Temer (PMDB) também foi usado nos governos petistas, que por ventura foram acompanhados de perto pelos peemedebistas, sempre considerados o ‘braço direito’ das gestões de Lula e Dilma Rousseff até o início das discussões do impeachment no ano passado.
“O Lula fez a mesma reforma se utilizando do discurso desonesto e enfadonho, com a diferença de que conseguiu alcançar seu objetivo em apenas 8 meses e fez a reforma roubando outros direitos dos trabalhadores; com a Dilma a situação foi menos complexa: ela fez suas modificações através de duas medidas provisórias que passaram rapidamente nas Casas Legislativas federais.”, lembrou.
Ao fim, Heloisa escancarou, na visão dela, as motivações que o atual governo federal tem para promover as novas reformas: “O governo Temer nada mais é do que a continuidade do mesmo modus operandi. Ele vem promovendo a privatização do espaço de interesses, escolhendo empresários que serão beneficiados e contando com a classe política, que se organiza como um verdadeiro bando durante as votações das causas”, concluiu.
AgoraRN



DE ARREPIAR: "Delação de Palocci dá calafrios em banqueiros e empresários do País"

iminente delação de Antônio Palocci não provoca calafrios apenas no mundo político. Banqueiros e empresários de renome estão preocupados com o que o ex-ministro pode contar à Lava Jato e a outras operações, como a Zelotes.
Palocci foi o petista mais próximo dos donos do dinheiro. Em 2002, ajudou a acalmar o mercado para a chegada do partido ao poder. Idealizou a “Carta ao Povo Brasileiro”, na qual Lula se comprometeu com a responsabilidade fiscal e o controle da inflação. A receita deu certo, e o médico foi nomeado ministro da Fazenda.
No cargo, Palocci ampliou os laços com a elite do capitalismo brasileiro. Chegou a sonhar com a Presidência, mas foi abatido no escândalo do caseiro. Voltaria ao Planalto no início de 2011, como chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff.
A nova temporada no poder não durou um semestre. Em maio, a Folha revelou que o petista havia multiplicado o patrimônio por 20 com uma consultoria de pouca visibilidade e muito sucesso. Ele caiu, mas se recusou a abrir a lista de clientes.
O segredo começou a ser desfeito em setembro passado, quando a Lava Jato prendeu Palocci e começou a abrir sua caixa-preta —ou caixa-forte, a julgar pelos valores envolvidos.
Numa das frentes de investigação, descobriu-se que a consultoria do ex-ministro recebeu R$ 81,3 milhões de 47 empresas. A lista inclui bancos, seguradoras, imobiliárias e montadoras de veículos. É uma clientela ampla, que teve milhões de motivos para bater na porta do petista.

FOLHAPRESS





POLÍTICA: "Temer diz que ‘possibilidade é zero’ dele se candidatar em 2018"

O presidente Michel Temer (PMDB) negou que possa se candidatar à reeleição em 2018. Segundo ele a “possibilidade é zero” por não ver necessidade de se candidatar. Perguntado durante entrevista coletiva a rádios regionais transmitida pela EBC se ele repensaria na questão se houvesse uma aclamação popular, Temer disse “Se povo pedir, vou dizer que cumpri bem minha missão nesses dois anos”.
Sobre a possibilidade de cassação de sua chapa com Dilma em 2014, Temer diz que espera que o processo seja julgado o quanto antes para não atrapalhar o bom andamento econômico do País. “Quanto mais rápido julgar, melhor para a estabilidade do país.” Segundo Temer, as pessoas que o chamam de golpista não leem a Constituição, pois é um rito normal o vice assumir quando o presidente sofre um impeachment.


BRASIL: "Moro recusa pedido de Lula para ouvir novas testemunhas"

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância, recusou nesta segunda-feira o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Ministério Público Federal (MPF) para ouvir novas testemunhas no processo em que o petista depôs na semana passada. Moro também estabeleceu os prazos para que as partes interessadas – MPF, Petrobras e advogados de defesa – façam suas alegações finais na ação.
Em seu despacho, publicado no sistema eletrônico da Justiça Federal nesta manhã, traz como justificativa serem “desnecessárias” novas diligências. O juiz também recusou outros pedidos da defesa, como o acesso à auditorias internas e ao processo de recuperação judicial da construtora OAS.