.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

BALCÃO DE NEGÓCIOS: "Deputado do PMDB com lista de "favores" no plenário da Câmara"

O deputado Darcísio Perondi (PMDB) foi flagrado ontem com uma lista com valores do Ministério da Agricultura no plenário da Câmara durante votação da denúncia contra o presidente Michel Temer.
Para a oposição, a imagem, feita pelo fotógrafo Lula Marques, comprova que houve compra de votos e acusou Perondi, um dos principais integrantes da tropa de Temer, de conferir se os deputados que receberam recursos da pasta estavam presentes.
O deputado negou que estava analisando a lista e que ela alguma relação com a votação da segunda denúncia contra Temer.

POLÍCIA FEDERAL: "Mesmo preso Henrique comandava esquema de ocultação de bens e fraudes em licitações"

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira(26), a Polícia Federal afirmou que o ex-ministro do Turismo, Henrique Alves (PMDB), mesmo preso desde o dia 6 de junho, comandava um esquema de ocultação de bens e fraude de licitações, por meio de assessores e pessoas ligadas a ele. Os investigadores afirmaram que um grupo de pessoas ligadas ao ex-ministro continuava realizando fraudes em licitações de prefeituras do interior do Rio Grande do Norte. A PF informa que foram cumpridos mandados de busca em cinco municípios potiguares.
“Depois da deflagração da Operação Manus (em junho), nós percebemos que o ex-deputado federal passou a ter duas condutas. A primeira é que ele estava articulando com seus assessores diretos a ocultação de seus bens, ou seja, um crime de lavagem de dinheiro. Percebemos uma segunda conduta, com base também nesses assessores, que era articulação junto a prefeituras do Rio Grande do Norte, no direcionamento de licitações”, afirmou o delegado da PF, Oswaldo Scalezi Júnior, durante coletiva sobre a operação Lavat, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26) no RN e em Brasília.
Segundo a Polícia Federal, os contratos envolviam recursos de convênios com o Governo Federal. Somadas, as obras custariam cerca de R$ 5,5 milhões, porém os investigadores ainda não identificaram qual seria o percentual da propina dividida entre os beneficiários e o próprio ministro.
Em outra frente, as investigações apontam que Henrique Alves estaria ocultado seus bens, por meio da transferência deles para pessoas próximas, ou mesmo em simulações de venda e compra. Para os investigadores, o ex-ministro queria esconder o patrimônio da Justiça.
Na operação, foram presos um funcionário do Ministério do Turismo e dois assessores de Henrique Alves. Ao todo, foram cumpridos 27 mandados, sendo três de prisão, dois de condução coercitiva e o restante de busca e apreensão.
Com acréscimo de informações do G1-RN

ELEIÇÕES 2018: "Zenaide Maia poderá ingressar no PC do B"

A deputada federal Zenaide Maia, ainda filiada ao PR, poderá ingressar no PC do B. As articulações já estão em curso. 

Zenaide será candidata ao Senado e integrará chapa com a senadora Fátima Bezerra, candidata ao Governo pelo PT. 

Embora o marido, Jaime Calado, esteja filiado ao PMB, o destino de Zenaide para o PC do B sela a proximidade da parlamentar com o PT.


SUCESSO: "FENEPAR já comercializou 95% dos standes"

A Feira de Negócios de Parelhas – FENEPAR caminha para superar todas as metas. A menos de 20 dias do início da Feira de Negócios de Parelhas, 95% dos standes já foram comercializados. “Várias empresas de todos os ramos estarão mostrando seus produtos e serviços, com o objetivo de aumentar a sua clientela”, informou Rejane Assis, coordenadora do evento.
O Sebrae é parceiro da FENEPAR desde o início. De acordo com Pedro Medeiros, gerente do escritório regional do Sebrae, a Feira de Negócios de Parelhas foca na realização de negócios em segmentos que são tendência e tradição na região do Seridó. “A FENEPAR vem buscando parceiros como o Sebrae e outros expositores nacionais, que são fornecedores de máquinas e equipamentos para os diversos setores que são potenciais no Seridó, como as confecções, mineração, cerâmica vermelha e alimentos”, destacou.
Segundo Pedro Medeiros, a FENEPAR estimula, entre os empresários, a inovação, competitividade e permanência no mercado do trabalho. “Somos parceiros desde a primeira edição por entender que essa feira tem foco na geração de negócios que são potenciais tanto no Seridó como no Rio Grande do Norte”, completou. “O Sebrae, desde o início, apostou na FENEPAR, mostrando a capacidade das empresas seridoenses de desafiarem a crise e buscar novos mercados”, completou Rejane Assis.


APROVAÇÃO ZERO: "Temer é o presidente mais impopular do mundo, diz pesquisa"

O brasileiro Michel Temer é considerado o presidente com maior taxa de rejeição do mundo, atrás até do venezuelano Nicolás Maduro, indicou uma pesquisa do grupo de análise política Eurasia. De acordo com a sondagem, que coletou dados a partir do mês de agosto, Temer detém 3% de aprovação popular, a menor em todo o mundo.
O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, que enfrenta denúncias de corrupção, tem 18%. Já o venezuelano Nicolás Maduro, que trava um confronto político interno com a oposição e cujo país fora sancionado em fóruns internacionais devido à censura e prisão de seus adversários, tem 23% de apoio popular.
A lista dos líderes “mais impopulares” conta ainda com o mexicano Enrique Penã Nieto, com 28% de aprovação; a premier britânica, Theresa May, que possui 31% e conduz o polêmico processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE); o norte-americano Donald Trump, com 37%; e o francês Emmanuel Macron, com 45%, que, apesar de recém-eleito, tem gerado reações internas por seus projetos de reformas.


RN: "Irmão do deputado Hermano Morais é conduzido coercitivamente"

Um dos alvos de mandado de condução coercitiva na manhã de hoje é Fernando Leitão de Moraes Júnior, irmão do deputado estadual Hermano Moraes, que disputou a prefeitura de Natal em 2012.
Também são cumpridos mandados de busca na Bonacci Engenharia e Comércio e na Estratégia Empreendimentos Imobiliários, empresas das quais Aluísio Dutra de Almeida, preso preventivamente hoje, era sócio.
Em 2013, veio à tona que Fernando Júnior era sócio da Bonacci Engenharia e Comércio Ltda, ao lado de Aluíso Dutra de Almeida, na época, assessor de Henrique Alves na Câmara.
A empresa era suspeita de receber os recursos das emendas parlamentares de Henrique Alves.
A operação Lavat, da Polícia Federal, investiga lavagem de dinheiro e fez buscas também no Ministério do Turismo. As informações são de JULIANA BRAGA, da coluna do Lauro Jardim, O Globo.