.

terça-feira, 5 de julho de 2016

ECON: "Confira os especialistas da semana de 04 á 09 de julho"


INACREDITÁVEL: "Homem arranca as calças de pedinte que se dizia aleijado e expõe fraude"

Um vídeo inacreditável de um pedinte sendo desmascarado viralizou nas redes sociais da China. Ele mostra um pedestre tirando as calças do homem, que fingia ser amputado, quando na verdade tinha as duas pernas.

Segundo o South China Morning Post, o vídeo foi feito em uma rua na cidade de Altay, em Xinjiang, noroeste da China. No começo das imagens, o pedinte aparece deitado sobre um carrinho, quase na altura do chão. O pedestre fala com ele e depois aponta para suas pernas. A partir daí, pessoas começam a parar para assistir à cena. O homem, irritado, passa a arrancar as calças do pedinte de forma chocante.

Quando a peça de roupa é totalmente arrancada, fica claro que ele não era amputado, mas estava com as pernas muito bem dobradas dentro da calça. Sem revidar e nem falar nada, o falso deficiente apenas sai rolando sobre o carrinho e com os membros ainda atados.

As imagens estão circulando pelas redes sociais chinesas desde o fim de semana. Só na página da Central China Television no Facebook, elas já tiveram mais de 1,7 milhão de visualizações, 21 mil reações e 12 mil compartilhamentos.

 Assista:


ELEIÇÕES 2016: Contratação e demissões estão proibidas por gestões, saibam outras proibições neste período eleitoral."

A partir deste sábado (2), os agentes públicos que irão disputar cargos eletivos nas eleições de outubro estão vedados de demitir ou contratar servidores. Além disso, os gestores estão proibidos de autorizar publicidade institucional, de acordo com o calendário eleitoral.

Também está proibida a realização de inaugurações e contratação de shows artísticos pagos com recursos públicos.


Os gestores não podem, segundo a legislação eleitoral, realizar transferência voluntária de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou de serviço em andamento e com cronograma prefixado e os destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública.

Confira as vedações prevista no calendário eleitoral:

(3 meses)

Data a partir da qual são vedadas aos agentes públicos as seguintes condutas (Lei nº 9.504/1997, art. 73, incisos V e VI, alínea a):

nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, ex officio, remover, transferir ou exonerar servidor público, na circunscrição do pleito, até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados os casos de:
nomeação ou exoneração de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança;

nomeação para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos tribunais ou conselhos de contas e dos órgãos da Presidência da República;

nomeação dos aprovados em concursos públicos homologados até 2 de julho de 2016;
nomeação ou contratação necessária à instalação ou ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais, com prévia e expressa autorização do chefe do Poder Executivo;

transferência ou remoção ex officio de militares, de policiais civis e de agentes penitenciários;

realizar transferência voluntária de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios, sob pena de nulidade de pleno direito, ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou de serviço em andamento e com cronograma prefixado e os destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública.

Data a partir da qual é vedado aos agentes públicos das esferas administrativas cujos cargos estejam em disputa na eleição (Lei nº 9.504/1997, art. 73, inciso VI, alíneas b e c, e § 3º):

com exceção da propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado, autorizar publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos municipais ou das respectivas entidades da administração indireta, salvo em caso de grave e urgente necessidade pública, assim reconhecida pela Justiça Eleitoral;
fazer pronunciamento em cadeia de rádio e de televisão, fora do horário eleitoral gratuito, salvo quando, a critério da Justiça Eleitoral, tratar-se de matéria urgente, relevante e característica das funções de governo.

Data a partir da qual é vedada, na realização de inaugurações, a contratação de shows artísticos pagos com recursos públicos (Lei nº 9.504/1997, art. 75).

Data a partir da qual é vedado a qualquer candidato comparecer a inaugurações de obras públicas (Lei nº 9.504/1997, art. 77).

Data a partir da qual órgãos e entidades da administração pública direta e indireta poderão, quando solicitados, em casos específicos e de forma motivada, pelos tribunais eleitorais, ceder funcionários à Justiça Eleitoral (Lei nº 9.504/1997, art. 94-A, inciso II).

EQUADOR-RN: "Homem é assassinado com 6 tiros dentro de casa"

José Eladio, popularmente conhecido como "Laído", foi executado por volta das 21 horas deste domingo (3) com 6 tiros de arma de fogo enquanto estava dentro de casa deitado na cama com a esposa.

O crime aconteceu na rua Berto Sabino de Oliveira, bairro José Marcelino, saída para a comunidade Jacu.


O pistoleiro chegou de capacete, arrombou a porta da casa da vítima e efetuou os 6 disparos fatais, fugindo em seguida sem ser identificado.

Segundo apurou informalmente a reportagem, comenta-se que o crime pode ter relação com o tráfico de drogas ou ainda vingança.

Na noite do dia 10 de junho, "Laído" já havia sofrido uma tentativa de homicídio, quando foi alvejado por 3 tiros no calçadão, em pleno centro da cidade de Equador.

PGR relaciona o ex-ministro Henrique Alves a “grupo criminoso”

A Procuradoria-Geral da República diz que detectou pagamentos da empreiteira Carioca Engenharia na conta secreta da Suíça atribuída ao ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB).

A investigação aponta que ele se beneficiou do esquema de corrupção na Caixa Econômica Federal revelado na sexta (1º) na Operação Sépsis.
Sabia-se até agora da existência da conta vinculada a ele no exterior e de uma investigação aberta pelo Ministério Público da Suíça. Agora, surgem dados sobre a origem dos depósitos.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que os repasses da Carioca a Henrique Alves foram feitos sob orientação do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

De acordo com a Folha de São Paulo, o dinheiro enviado para a Suíça para a conta de Henrique Alves, segundo dados da Procuradoria, era oriundo de propina cobrada da empresa Carioca em troca da liberação de recursos do fundo de investimentos do FGTS para obras do Porto Maravilha, no Rio.

Folha teve acesso a um despacho de Janot no qual ele relaciona Alves a um “grupo criminoso”. “Por ocasião da cobrança de vantagem indevida feita aos empresários da construtora Carioca, Cunha indicou para o depósito da propina outra conta, esta de Henrique Eduardo Alves”, disse o procurador-geral.

Pessoas próximas às investigações relataram à Folha que houve mais de uma transferência da Carioca para o ex-ministro. Os valores totalizariam ao menos US$ 300 mil.
Em março, o Ministério Público da Suíça transferiu para o Brasil uma investigação contra Henrique Alves iniciada no país, por causa da descoberta da conta. Na ocasião, ela tinha saldo de R$ 2,8 milhões.

Folha de S.Paulo

UTILIDADE PÚBLICA: "Vacinação contra paralisia infantil será em setembro"

A partir da próxima campanha de vacinação, prevista para setembro, apenas crianças entre seis meses e cinco anos de idade que não tenham completado o esquema vacinal contra a poliomielite serão imunizadas. Até a campanha do ano passado, todos dessa faixa etária tomavam reforço anual da vacina, como forma de evitar que alguns ficassem sem a dose.
Desde o começo de 2016, o esquema vacinal contra a poliomielite passou a ser em três doses da vacina injetável – aos 2, 4 e 6 meses, e mais duas doses de reforço com a versão oral, conhecida como gotinha, aos 15 meses e aos 4 anos. Na campanha de setembro deste ano, deverão ser vacinadas apenas as crianças que não tomaram as cinco doses.
Até o ano passado, as crianças recebiam duas doses injetáveis, aos 2 meses e aos 4 meses de vida. Aos 6 meses, aos 15 meses e anualmente até os 5 anos de idade eram dadas doses orais.
Mesmo prevendo o reforço, o Ministério da Saúde enfatiza que as três doses injetáveis já garantem a proteção.
A campanha de vacinação contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, ocorre todo ano no segundo semestre.
Em nota, o Ministério da Saúde ressaltou que a variação do mês da campanha, de um ano para o outro, não prejudica a imunização da população, pois a poliomielite está erradicada no Brasil desde 1990.

ALERTA: "Vírus bovino é encontrado em tecidos de bebês com microcefalia"

Pesquisadores brasileiros encontraram partículas do vírus da diarreia viral bovina (VDVB), além do vírus Zika, em tecido cerebral de fetos e recém-nascidos com microcefalia. O Ministério da Saúde emitiu hoje (4) nota na qual diz que está acompanhando a investigação sobre os fatores que podem estar associados ao Zika no desenvolvimento de malformações congênitas.
Os estudos foram feitos em parceria entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Instituto de Pesquisa Professor Joaquim Amorim Neto (Ipesq), da Paraíba. Os exames foram feitos em amostras obtidas por necropsia de tecidos cerebrais de fetos e de recém-nascidos com microcefalia.
O Ministério da Saúde ressalta que a presença do vírus nestes tecidos não significa necessariamente que ele está relacionado às malformações. Novos estudos serão feitos para confirmar ou descartar a hipótese.
Como o nome indica, o VDVB afeta predominantemente bovinos, podendo causar malformações nos animais

CAÇADOR DE PETISTAS...

O juiz federal Sérgio Moro determinou hoje (4) o bloqueio preventivo de R$ 5 milhões nas contas do ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira, alvo da 31ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã de hoje (4). O objetivo da medida é garantir o ressarcimento dos cofres públicos em caso de condenação, mas não significa que Ferreira tenha os valores depositados.
Ferreira está preso desde o dia 24 de junho, quando foi alvo de outra operação, a Custo Brasil. De acordo com as investigações, Ferreira recebeu recursos desviados da Petrobras, por meio de contas parentes para receber os recursos.

FHC: "Congresso pode ter aprovado impeachment de forma oportunista"

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) deu uma entrevista à emissora Al Jazeera, do Qatar, que foi transmitida no último sábado (02/07), sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Ele diz que a “campanha [pelo impedimento] veio do do povo, das massas nas ruas, não do Congresso”, mas que este “pode o ter aprovado de forma oportunista”.
Ao ser perguntado pelo âncora Mehdi Hassan se Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara dos Deputados; Waldir Maranhão (PP-BA), presidente interino da Casa; Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado; e o presidente interino Michel Temer (PMDB-SP), envolvidos em escândalos de corrupção, teriam credibilidade para votar o impeachment de Dilma, Fernando Henrique diz que os motivos que levaram o PMDB a retirar o apoio à atual presidente afastada “são diferentes” dos motivos pelos quais ele apoia o impeachment. Sem responder diretamente à pergunta, mesmo com a insistência do apresentador, o ex-presidente disse que eles “não lideraram campanha pelo ‘impeachment'”.

Dilma Rousseff não vai ao Senado se defender na Comissão do Impeachment

A presidente afastada Dilma Rousseff não irá participar de seu interrogatório na Comissão Especial de Impeachment marcado para a próxima quarta-feira, 6. Segundo fontes próximas à petista, ela será representada pelo seu defensor, o ex-advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.
Oficialmente, a defesa da presidente só confirmará a ausência de Dilma nesta terça-feira, 5, durante a sessão que ouvirá os peritos do processo na comissão especial. Cardozo já admitia que a “tendência” era que a presidente não comparecesse.

Um dos motivos para Dilma não participar pessoalmente da sessão seria para evitar confrontos com senadores como Magno Malta (PR-ES) e Ataídes Oliveira (PSDB-TO), que são agressivos e “não têm papas na língua”.

Ladrões invadem fazenda e roubam cerca de mil sacas de feijão

Cinco homens armados invadiram uma fazenda no anel da soja, em Barreiras, oeste da Bahia, e renderam um funcionário e a mulher dele na madrugada de sábado (2). Segundo a Companhia Independente da Polícia Especializada (CIPE) Cerrado, os assaltantes roubaram cerca de mil sacas de feijão fradinho.

Ainda de acordo com a CIPE, a carga de feijão havia sido distribuída em três caminhões. Os assaltantes levaram ainda um carro, dois televisores, dinheiro e equipamentos da fazenda. A polícia fez buscas no local, mas não encontrou nenhum suspeito. Até a manhã desta segunda-feira (4), ninguém havia sido preso.