.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

ATUAÇÃO: Fátima Bezerra sai em defesa dos funcionários dos correios: "Não podemos aceitar o fechamento das agências"

A senadora Fátima Bezerra cobrou, nesta segunda-feira, 7, a que a direção dos Correios volte atrás na decisão de fechar 513 agências e que, segundo informações, pode chegar a 750. Com o corte, deverão ser demitidos também mais de 5 mil funcionários. A intenção de mais essa ação de desmonte dos Correios foi divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo, na semana passada, e confirmada pelo diretor interino dos Correios, Carlos Fortner. Fátima lembrou que a empresa Correios foi criada para prestar um relevante e importante serviço público social.
“Não podemos aceitar o fechamento das agências porque a maior prejudicada será a população, principalmente a os mais pobres, aqueles que têm dificuldade de estar se deslocando das cidades pequenas para as médias e grandes cidades. No meu estado, Rio Grande do Norte, na maioria dos municípios, nós só temos uma agência dos Correios”. A parlamentar destacou ainda que, nesta lista, existem agências com alto faturamento.
Em Minas Gerais, por exemplo, 14 das 20 agências mais rentáveis devem deixar de funcionar. “O fechamento de centenas de agências coloca no olho da rua pais de família, mães de família, trabalhadores de todo o país. O negócio deste governo é só cortar. Quer lá saber se lá na pequena cidade do meu Rio Grande do Norte, há Banco Postal, se há ou não agência bancária? Quer lá saber se existe alguma lá em Venha-Ver, em Lagoa Nova? Não quer saber disso. Para o governo, o povo que se lixe”, ressaltou.
Fátima adiantou também que a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, presidida por ela, fará uma audiência pública para debater o tema. “ A exemplo da luta que nós desencadeamos aqui na CDR , no ano passado, que impediu o fechamento dos bancos postais, nós vamos fazer o mesmo agora, posicionando-nos contra o fechamento das agências próprias dos Correios do Brasil. Com esse debate, esperamos que a empresa reveja essa decisão desastrada, que vai causar muito dano ao povo brasileiro, especialmente à população mais carente do nosso País”, concluiu.

Nenhum comentário: