.

.
.

terça-feira, 16 de maio de 2017

HELOÍSA HELENA: "Classe política se organiza como um bando para aprovar as reformas"

Por ocasião da 2ª Conferência Estadual da Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte, a ex-senadora de Alagoas e ex-vereadora de Maceió, Heloisa Helena, esteve em Natal no último fim de semana para debater a conjuntura política, os próximos passos do partido no estado e definir as suas estratégias para as eleições de 2018. A reportagem do Agora Jornal conseguiu contato com a ex-parlamentar, que prontamente atendeu ao pedido e participou de um bate-papo sobre o momento político do país.
Questionada sobre como tem encarado o avanço das reformas trabalhista e previdenciária, que tramitam nas Casas Legislativas de Brasília tendo, inclusive, já sido aprovada na Câmara dos Deputados, Heloisa Helena utilizou de uma abordagem diferente da que vem sendo praticada pelos demais parlamentares de oposição e frisou: as reformas não representam nada mais do que o continuísmo entre as gestões federais.
“Sempre prefiro fazer uma análise estrutural do estado brasileiro. Se pararmos para pensar, tanto nos 8 anos de PSDB quanto nos 13 anos de PT/PMDB e, agora, neste 1 ano de Michel Temer, está muito claro que existem processos gravíssimos que estão diretamente relacionados ao crime de administração pública e exploração de prestígio. A reforma do aparelho de Estado, quando se dá, é unicamente para roubar direitos de trabalhadores e manter privilégio para poucos grupos, e não promover ação social”, declarou.
“Esse mecanismo foi utilizado na reforma previdenciária liderada por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em seu governo, que emendou o mesmo discurso intelectualmente desonesto de ‘déficit com a Previdência’. Porém, ele ainda passou 3 anos para conseguir aprovar a reforma porque nós trabalhadores resistimos bravamente. Isso demonstra importância da luta da classe trabalhadora em defesa de seus direitos”, completou.
Para Marina, o ideal que vem sendo utilizado na atual proposta de Michel Temer (PMDB) também foi usado nos governos petistas, que por ventura foram acompanhados de perto pelos peemedebistas, sempre considerados o ‘braço direito’ das gestões de Lula e Dilma Rousseff até o início das discussões do impeachment no ano passado.
“O Lula fez a mesma reforma se utilizando do discurso desonesto e enfadonho, com a diferença de que conseguiu alcançar seu objetivo em apenas 8 meses e fez a reforma roubando outros direitos dos trabalhadores; com a Dilma a situação foi menos complexa: ela fez suas modificações através de duas medidas provisórias que passaram rapidamente nas Casas Legislativas federais.”, lembrou.
Ao fim, Heloisa escancarou, na visão dela, as motivações que o atual governo federal tem para promover as novas reformas: “O governo Temer nada mais é do que a continuidade do mesmo modus operandi. Ele vem promovendo a privatização do espaço de interesses, escolhendo empresários que serão beneficiados e contando com a classe política, que se organiza como um verdadeiro bando durante as votações das causas”, concluiu.
AgoraRN



Nenhum comentário: