.

.
.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O OUTRO LADO DA MOEDA...

Do G1/RN – Para os produtores de frutas irrigadas, em especial para os exportadores do melão que é colhido no sertão potiguar, a crise econômica não tem sido um mal negócio. Como quem dita as regras da exportação nacional é a moeda americana, a alta do dólar está fazendo os lucros saltarem.
De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o Rio Grande do Norte exportou 64 mil toneladas de melão entre os meses de janeiro e outubro deste ano, com um faturamento de 41,4 milhões de dólares até então. No mesmo período do ano passado, foram para fora do país 52,4 mil toneladas do fruto e a arrecadação foi de U$ 38 milhões – o que representa um crescimento de 9% apesar de o estado enfrentar a pior estiagem dos últimos 100 anos.
“O estado enfrenta uma seca terrível. São quatro anos seguidos de chuvas abaixo da média. Mas, até agora, essa estiagem não afetou a nossa produção. Isso porque as nossas plantações são irrigadas com água de lençóis freáticos, e não diretamente das chuvas. No entanto, é claro que a situação preocupa. Se não voltar a chover logo, os poços irão secar e não teremos de onde retirar a água”, ressaltou Marcellus Fernandes, que é atendente de exportações da Agrícola Famosa, a maior produtora e exportadora de melão e melancia do país.

Nenhum comentário: