.

.
.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

BRASÍLIA: "Senadores da oposição pedem afastamento de ministro da Justiça"

Em mais uma reação à prisão temporária do ex-ministro Antônio Palocci, o líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ) decidiu encaminhar à Procuradoria-Geral da República (PGR), nesta segunda-feira (26), uma representação em que solicita apuração dos fatos ligados à declaração feita pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e o afastamento dele das funções públicas. No último domingo (25), o ministro falou durante um evento de campanha do deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP), que concorre à Prefeitura de Ribeirão Preto, que uma nova fase da Operação Lava Jato seria deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta semana. Hoje (segunda, 26), a 35ª fase da investigação, denominada Omertà, foi anunciada.
“É um escândalo o que aconteceu. Um absurdo. Quem fez o pedido de prisão, desta vez, foi a Polícia Federal, e parece que o ministro sabia antes. Depois, veio com uma desculpa que subestima a inteligência das pessoas, que não tem nada a ver. Parece claro que há uma interferência política nas investigações e temos que saber o que de fato está acontecendo”, enfatiza Lindbergh.
O objetivo da representação é pedir a “apuração dos fatos ligados à declaração do ministro Alexandre de Moraes em ato de campanha de correligionário de seu partido na cidade de Ribeirão Preto”, no qual, de acordo com os senadores, antecipou nova fase da Lava Jato. No vídeo abaixo, veja o instante em que o ministro anuncia o cumprimento de mais uma etapa da investigação, demonstrando estar informado sobre a execução de diligências.

Nenhum comentário: