.

.
.

terça-feira, 25 de abril de 2017

ROMPIMENTO: "PSB rompe com governo Temer"

Após o fechamento de questão contra as reformas trabalhista, da previdência e política que prevê a lista fechada, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e outros dirigentes da legenda, deixaram claro que, sem a chancela de cargos no ministério e votando contra as principais matérias do governo, o PSB não pertence a base de Michel Temer, e com essas posições oficiais, é oposição. Os dois líderes do partido na Câmara, Teresa Cristina (MS), e do Senado, Fernando Bezerra (PE), foram votos vencidos contra o fechamento de questão nas bancadas.
– O partido nunca esteve no governo. Esse governo não nos representa. Fica inviabilizada nossa permanência na base. Quem está lá sem a indicação do PSB, é quem tem que se resolver. É prudente que o Palácio do Planalto comece a contabilizar votos a menos – disse o vice-presidente de relações governamentais do PSB, Beto Albuquerque.
– Se estamos contra as principais reformas e programas do governo consideradas essenciais, tire suas próprias conclusões – disse o presidente Carlos Siqueira.
Sobre as punições aos parlamentares que não cumprirem a decisão e votarem a favor das reformas, Siqueira lembrou que o estatuto prevê de advertência até expulsão, mas fez um apelo para que cumpram a posição da Executiva Nacional.


Nenhum comentário: