.

quarta-feira, 2 de março de 2016

ESPERANÇA: “Municípios precisam se preparar para a chegada das águas do São Francisco”, diz administrador diocesano de Cajazeiras.

À frente da administração da Diocese de Cajazeiras, durante o período de vacância, monsenhor Agripino Ferreira demonstrou sua preocupação com o fato dos municípios paraibanos ainda não estarem devidamente preparados, para a chegada das águas do Rio São Francisco, através do Projeto de Integração. Ele cita, como exemplo a falta de obras de saneamento básico nas cidades.
“O município tem feito uma parte do que lhe compete, não está devidamente concluído todos os seus trabalhos. estamos mobilizando todos os municípios que integram essa região, que tem que fazer o seu serviço de saneamento básico por completo, não pode fazer um trabalho pela metade. penso que faltou mais cobrança dos órgãos federais e estaduais para que os municípios pudessem cumprir a sua missão e o seu dever de casa”.
Monsenhor Agripino também defende a transposição das águas do Rio São Francisco como uma das soluções, para a problemática da falta d’água, que não atinge apenas Cajazeiras, mas muitos municípios paraibanos, e de estados vizinhos como o Rio Grande do Norte. “Se essa transposição não chegar até setembro, começaremos a passar um momento muito difícil, que o único açude que nos abastece está com apenas 14% de sua capacidade hídrica. Na região não tem outro reservatório que possa suprir essa necessidade. Já deixamos de abastecer Souza e São Gonçalo”, finalizou o religioso.

Nenhum comentário: