.

.
.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

TRIPLEX: "Defesa pede absolvição de Lula no caso e compara procurador a Hitler"

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu sua absolvição na ação penal em que ele é acusado pela força-tarefa da Operação Lava Jato de ser o real proprietário de um apartamento tríplex no Guarujá (SP).
Segundo a defesa, há “farta prova produzida nos autos” indicando que o ex-presidente Lula “jamais teve a posse e muito menos a propriedade desse imóvel –que a ele compareceu uma única vez para avaliar (e recusar) interesse na sua compra”.
No documento, assinado por dez advogados de dois escritórios diferentes, os defensores do ex-presidente acusam o MPF-PR (Ministério Público Federal no Paraná), onde está sediada a força-tarefa da Lava Jato, de não comprovarem as acusações presentes na denúncia aceita por Moro.
Os advogados também criticam o que classificam como “a tentativa de flexibilização dos parâmetros de legitimidade da prova” por parte do coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, no que seria uma prática “própria de regimes totalitários e com remarcado viés de perseguição. Hitler em seu primeiro discurso como Chanceler da Alemanha defendeu exatamente a ‘elasticidade dos vereditos’
“Para os advogados, Moro “possui relação de inimizade capital” com Lula e “perdeu a posição de imparcialidade perante as partes que compõem a ação”. Entre os motivos citados para tanto estão a decretação da condução coercitiva de Lula em março de 2016, a determinação de grampos telefônicos de Lula, a “exteriorização de juízo de condenação preconcebida”, a “crescente animosidade” junto aos advogados, a “presença em eventos organizados por adversários políticos do ex-presidente Lula” e até mesmo a “percepção da sociedade de que o magistrado é adversário do ex-presidente Lula”.
Blog do Primo

Nenhum comentário: