.

.
.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

BRASIL DE CABOCLO DE MÃE PRETA E PAI JOÃO: "Escoltados pela PF, vereadores tomam posse e voltam para a cadeia"

Cinco vereadores de Foz do Iguaçu (PR) reeleitos no ano passado saíram da cadeia, onde estavam presos por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção, foram até a Câmara escoltados pela Polícia Federal (PF), tomaram posse com os policiais ao fundo e voltaram para a prisão.

A posse, ocorrida ontem quarta-feira, foi feita por determinação da juíza Juliana Arantes Zanin Vieira, da Vara de Execuções Penais e Corregedoria dos Presídios de Foz do Iguaçu, e ocorreu sob forte tumulto. Em um vídeo gravado no momento da posse, é possível ouvir manifestantes vaiando os vereadores enquanto faziam o juramento. Dezenas de pessoas ocuparam a galeria da Câmara com cartazes contra a iniciativa aos gritos de “vergonha” e de pedidos de renúncia dos parlamentares.

Os vereadores – Anice Gazzaoui (PTN), Darci Siqueira (PTN), Rudinei de Moura (PEN), Edilio Dall’Agnol (PSC) e Luiz Queiroga (DEM) – estão presos desde do dia 15 de dezembro do ano passado quando a PF deflagrou a 5ª fase da Operação Pecúlio, que investigava parlamentares suspeitos de terem recebido propina para aprovar projetos de interesse da prefeitura e de terem participação em fraudes de licitações para a área da saúde. Os parlamentares fizeram o juramento, assinaram o livro de posse e saíram escoltados.

Na 5ª fase da operação, batizada de Nipoti, doze dos quinze vereadores da cidade foram presos por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção. A 6ª fase da operação, deflagrada no dia seguinte às prisões, conduziu coercitivamente dois dos três vereadores que permaneceram na Câmara para prestarem esclarecimentos à PF, mas foram liberados no mesmo dia.

Operação Pecúlio

A 1ª fase da Operação Pecúlio foi deflagrada em abril de 2016 com o objetivo de desarticular um esquema de corrupção em contratos para realização de obras junto à prefeitura com recursos públicos federais. O então prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB), também foi preso, junto com empresários, secretários e servidores municipais na 4ª fase da operação.
Atualmente, Pereira cumpre prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Com o fim do mandato, o ex-prefeito de Foz do Iguaçu perdeu o foro privilegiado e será julgado pela 3ª Vara Criminal Federal. O processo, enquanto Pereira ocupava o cargo, estava com o Tribunal Regional Eleitoral da 4ª região (TRE-4).

Jean Souza
RESTAURANTE



Nenhum comentário: