.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Fátima faz duras críticas a governo Temer que já começa a retirar direitos da população

Durante pronunciamento, nesta terça-feira (17), no Plenário, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) criticou duramente o projeto conservador que está sendo implantado no país, com a tomada do poder pelo governo golpista, como faz questão chamar. De acordo com a parlamentar, o presidente provisório, Michel Temer, formou um Ministério com figuras que representam o pensamento e as ideias mais conservadores da política brasileira. “É um Ministério sem diversidade, sem representatividade, em que não há um único negro, em que não há mulheres. Aliás, depois de muitas críticas, inclusive por parte de quem apoiou o golpe, eles começaram a nomear uma ou outra mulher, mas – é bom que se diga – no segundo e no terceiro escalão, deixando claro que, neste governo golpista, interino, provisório, usurpador que aí está, realmente as mulheres serão deixadas em segundo plano. Não há um único negro, não há uma mulher, não há representantes das minorias”, enfatizou.
Fátima lamentou ainda o rebaixamento e a extinção de importantes ministérios, como o das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, o de Desenvolvimento Agrário e o da Cultura. “E eles já adiantaram que vão revogar as ações tomadas pelo governo Dilma, em um verdadeiro retrocesso, para colocar em prática um plano de governo que foi derrotado pelo povo brasileiro nas urnas quatro vezes. Não é à toa que está aí a sociedade se mobilizando. (…) Quero aqui me solidarizar com os artistas, com os produtores culturais e com os militantes da cultura que estão protestando contra o fim do Ministério da Cultura. Isso é um atentado à cultura do nosso País”, repudiou.
Para a senadora Fátima, os acontecimentos pelos quais o país vem passando nos últimos meses trará consequências gravíssimas para a democracia do país, para as gerações presentes e para as gerações futuras. Segundo ela, o impeachment foi apenas um pretexto que as forças golpistas e a burguesia usaram para derrotar o PT, para apear do poder a Presidenta Dilma Rousseff, eleita democraticamente. “ É muito duro, de repente, ver o pacto constitucional sendo rasgado. Eles estão rasgando mais de 54 milhões de votos. Os golpistas, respaldados no voto de 367 Deputados e 55 Senadores, colocam em prática um projeto que vem na contramão das conquistas sociais e trabalhistas obtidas nos últimos 13 anos, como a proposta de aumentar a idade mínima dos trabalhadores, o fim da política de valorização do salário mínimo e até a redução do SUS. Ao usurpar o poder, Temer coloca em andamento um plano de governo que já foi derrotado nas urnas por quatro vezes seguidas”, afirmou.
Antes de concluir seu pronunciamento, Fátima lembrou que o Partido dos Trabalhadores está unido e, em sintonia com os movimentos sociais, continuará lutando para que a Presidenta Dilma, nesse prazo de 180 dias, volte a ocupar a presidência.

Nenhum comentário: