.

.
.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

BRASIL: "Temer nega boatos de que vá ‘destruir’ saúde e direitos trabalhistas"

O presidente Michel Temer negou nesta quarta-feira (14) que seu governo tenha como “objetivo central destruir a saúde, a educação e o direito dos trabalhadores”. Ele “convocou” deputados e senadores para que “contestem aqueles que queiram vilipendiar os fatos”. Segundo ele, mudanças na jornada de trabalho ainda estão em estudo pelo governo. “É muito desagradável que um governo seja tão estupidificado e tão idiota de que chega ao poder para restringir o direito de trabalhadores, acabar com saúde e acabar com a educação”, afirmou o presidente. “As redes sociais têm um poder extraordinário. É preciso combatê-los [os boatos], e eu vou combatê-los.”
Temer citou a polêmica envolvendo as declarações do ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que afirmou ter intenção de oficializar uma carga horária diária de até 12 horas de trabalho. Atualmente a jornada é de oito horas por dia, na maioria dos casos. Na opinião de Temer, a proposta “bombou” nas redes sociais de forma equivocada. Segundo o presidente, a proposta de ampliação da carga horária de trabalho deve passar pela aprovação de uma convenção coletiva, com representantes do governo, patrões e trabalhadores. Sem dar detalhes, ele falou até em redução do número de dias trabalhados.

Nenhum comentário: