.

domingo, 9 de setembro de 2018

POLÍTICA: "Raquel Dodge aponta elementos que atrelam Robinson Faria à prática de crime eleitoral."

Sobre o inquérito instaurado com base nas declarações prestadas pelo delator Ricardo Saud, da JBS, para apurar suposta prática dos crimes de falsidade ideológica eleitoral e corrupção passiva pelo deputado federal Fábio Faria (PSD) e seu pai, o governador Robinson Faria, durante as eleições de 2014, o caso apresenta novidade e o blog publica, já que vem acompanhando passo a passo o processo desde o início.

No último dia 03/09, a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, apresentou petição que aguarda apenas o julgamento por parte da Ministra-Relatora, Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF).

No inquérito que será julgado pela Ministra Rosa Weber e já tem parecer de Raquel Dodge, constam também autos recebidos da Corregedoria Geral da Polícia Federal no último dia 14 de agosto.

“Com relação ao deputado federal Fábio Faria, não foi possível colher nenhum elemento probatório que demonstrasse que o investigado cometeu os referidos delitos”, diz o inquérito assinado por Dodge.

No entanto, Dodge aponta elementos que podem incriminar o Governador Robinson Faria:


Eliane Alves Pereira representante da E A Pereira Comunicação Estratégica afirmou em depoimento segundo o inquérito, “que a empresa foi contratada pela campanha de Robinson Faria em 2014 para prestar serviço de “Marketing Direto”. Relatou ainda que não prestou serviço a campanha de Fábio Faria. Cobrou da campanha de Robinson Faria R$ 1.200.000,00”. Mas o valor do contrato foi de R$ 2.000.000,00.

Heitor Gregório



Nenhum comentário: